Atleta sofre com dores no joelho e isto tem prejudica a preparação aeróbica, explica Vinicus Andrade. “Hoje ele estava sem dores”, afirma.

Peça principal na armação das jogadas, o meia Ceará não tem presença garantida para a estreia do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) no Campeonato Brasileiro da Série D.

Ceará sofre com problemas no joelho desde o Campeonato Paranaense. “Hoje ele não sentiu dores. Conseguiu trabalhar normalmente”, conta o preparador físico, Vinicius Andrade.

O médico do OFEC, Dr. José Augusto Bach, acompanha o tratamento do atleta e acredita que em pouco tempo ele estará apto para jogar. “Nos exames, nada foi encontrado. Nas ‘imagens’ não há nada com gravidade. É um incomodo que volta dependendo do movimento”.

A comissão médica do Operário vai seguir com o trabalho até na quarta-feira, quando reavalia o atleta e decide se ele pode voltar aos treinamentos com o grupo. Se não for liberado, Ceará segue o tratamento de fortalecimento da região do joelho.

“A parte física, a musculatura dele está forte, porém a parte aeróbica ficou prejudicada”, explica Vinicius Andrade. Com isso, se for para o jogo, Ceará deve aguentar apenas 30/45 minutos. “Ele vai dar três piques e começar a sentir o cansaço. É normal por conta da lesão”, conclui o preparador.

O Operário enfrenta o Mirassol, no domingo, dia 17, fora de casa. O jogo acontece no estádio José Maria Maia, às 16h.

Por Emmanuel Fornazari (Net Esporte Clube – 11/7/2011).

Os comentários estão encerrados.