Alvinegro termina em 3º lugar no Paranaense, em uma das melhores campanhas da história do clube, igualando marca obtida em 1991

O triênio 90,91,92 costuma ser apontado como um dos grandes momentos e espécie de último suspiro do Operário Ferroviário. Nos três primeiros anos da década de 90 o clube ponta-grossense acumulou presença entre os quatro melhores do estado e ainda um quarto lugar na Segunda Divisão Nacional. Nos anos seguintes o alvinegro não conseguiu repetir os mesmo bons desempenhos e entrou em rota de colisão, com o clube chegando a abandonar o futebol profissional, e só retornou à elite estadual após um período de mais de 14 anos. Hoje, quase duas décadas passadas, o time de Vila Oficinas repete o desempenho obtido apontado por muitos como um dos melhores da história do clube.

HISTÓRIA Vitória contra o Corinthians-PR confirmou melhor campanha do Operário desde 1991

HISTÓRIA Vitória contra o Corinthians-PR confirmou melhor campanha do Operário desde 1991

A vitória por 2 a 1 sobre o Corinthians-PR, fora de casa, no último domingo, ratificou o Operário no terceiro lugar do Paranaense 2011, superando a marca obtida em 1992 – quando ficou em quarto lugar – e igualando o feito obtido em 1991.

O terceiro lugar no Estadual deste ano comprova uma ascendente do clube ponta-grossense nos últimos anos. De 2008 a equipe de Vila Oficinas saltou de um terceiro lugar na Divisão de Acesso para ser o dono da melhor campanha entre os times do interior do estado, além de garantir uma vaga na Copa do Brasil (que ainda precisa ser oficializada pela CBF).

No dia em que comemorou 99 de existência, o time ponta-grossense encerrou uma campanha que em alguns momentos despertou a desconfiança do torcedor, mas que o confirmou como a terceira melhor campanha do Paranaense 2011.

Amilton Oliveira reconheceu a importância da marca obtida pelo elenco deste ano, e mais uma vez pediu pelo reconhecimento do jogadores. “Os atletas vão ficar na história, com uma vitória maiúscula, que projeta a cidade, o clube, todos nós”, disse, admitindo que o ele próprio também integra a história do Operário. “Acho que sim (sobre o fato de ter entrado para história ao comandar um das melhores campanhas da história do Operário), sou grato ao Operário por ter me dado essa oportunidade. Foi uma campanha honesta, com todos imbuídos de fazer o melhor, e felizmente foi feita justiça e conseguimos nossos objetivos”.

Embora o Campeonato Paranaense tenha terminado com o fim do segundo turno e com o Coritiba campeão por antecedência, a competição estadual ainda terá mais um capítulo para o Operário. A equipe ponta-grossense disputa o ‘Troféu do Interior’ com o Cianorte, em dois jogos, nos dias 8 e 15 de maio.

65% dos pontos foram obtidos fora
A vitória sobre o Corinthians-PR no último domingo não apenas confirmou a campanha histórica do Operário, mas também confirmou a vocação do Operário de ‘pior visitante’ no Estadual deste ano.

O triunfo no Ecoestádio foi o oitavo na competição. Dos 33 pontos disputados fora de casa, o alvinegro conquistou 26, e teve apenas uma derrota, contra o Coritiba.

Os pontos somados fora de casa, inclusive, foram a maioria dos acumulados ao longo do campeonato. Dos 40 pontos que o fizeram o terceiro melhor time do Paranaense, apenas 14 – equivalente a 35% – foram somados no Germano Krüger.

“Faltou um pouco de tranquilidade nos jogos em casa, não adianta ficar procurando desculpa, é uma coisa mais psicológica, competência eles (os jogadores) têm. O problema é um pouco de ansiedade em querer dar a resposta em casa”, analisou o o treinador sobre o fraco desempenho do Operário este ano em jogos em casa.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 3/5/2011).

Os comentários estão encerrados.