Respirando tranquilos com o terceiro lugar no Campeonato Paranaense, e as consequentes vagas na Série D e Copa do Brasil, elenco e comissão técnica do Operário refutam tirar o pé nas duas próximas semanas, período em que o clube disputa a ‘Decisão do Interior’.

“A tendência agora é a adrenalina ir baixando”, admite Amilton Oliveira, já emendando que planeja força máxima no domingo, no jogo de ida. “A gente vai com o que ter de melhor, força máxima para estes dois últimos jogos”.

Se a campanha no Para­na­­­ense deste ano rendeu ao clube um rendimento que há vinte anos o clube não tinha, a final do interior pode render ao Operário um título, algo que o Vila Oficinas não vê há ainda mais tempo. O último registro que se tem de um título faturado pelo time ponta-grossenses­ data do ano de 1980, quando o clube levou o “Torneio da Amizade’, competição que reuniu equipes como Cascavel, Pato Branco, Umuarama, Cascavel, Toledo e União de Francisco Beltrão. O alvinegro ainda consta conquistas como outros torneios amistosos (‘Quadrangular Barros Junior’), os chamados ‘Zona Sul’ – divisão do Estadual existente até meados da década de 70 – além de torneios-início, todos, entretanto, faturados antes da década de 80.

HISTÓRIA Elenco e comissão técnica garantem empenho em faturar título inédito em 30 anos

HISTÓRIA Elenco e comissão técnica garantem empenho em faturar título inédito em 30 anos

“Não tem essa de título simbólico, a gente sabe que é importante, todos estão levando a sério, estão cientes da responsabilidade. É bom para todo mundo (o título), não só clube, mas também para nós colocarmos o nome da história do clube”, completa o treinador alvinegro, que ainda cita uma ‘tríplice coroa’ como alvo do atual elenco. “Vamos em busca dessa o que seria para nós uma tríplice coroa, com a vaga na Série D, Copa do Brasil, e o título do interior”.

Para o jogo de ida no Albino Turbay, agendado às 15h30, Amilton não deverá ter desfalques. O treinador poderá contar com os retornos de Mateus, que cumpriu suspensão diante o Corinthians-PR, e Cambará, que se recuperou de lesão e já vem treinando normalmente durante a semana.

A única dúvida fica por conta da escalação do Lisa. O Arapongas planeja entrar no Tribunal de Justiça alegando que o zagueiro Brinner, do Cianorte, que tenha atuado irregularmente, por conta de um aditivo em seu contrato. Como o lateral direito do Operário se encontra na mesma situação – garantida pelo advogado Domingos Moro – o alvinegro estuda, como medida preventiva, não escalar Lisa. Caso isto ocorra, Amilton deve improvisar Edson Grilo na lateral.

Títulos do Operário*

1956
Torneio Início Profissional Paranaense da Série Interiorana / Torneio Início Profissional Paranaense da Série Capital
1960
Torneio Início da Zona Sul
1961
Zona Sul
1964
Torneio Quadrangular Barros Júnior
1966
Zona Sul
1967
Torneio Quadrangular Barros Júnior
1969
Zona Sul
1975
‘Taça Sul’
1980
Torneio da Amizade

* Levando em conta apenas conquistas no futebol profissional

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 5/5/2011).

Uma resposta a Diário dos Campos: Operário quer título que não vê há 30 anos

  • Ângelo Defino disse:

    Sobre a matéria da edição de quinta-feira sobre os títulos do Operário Ferroviário gostaria de esclarecer que o Fantasma não conquistou o Torneio Início da Zona Sul em 1960 e sim o Ferroviário de Curitiba; que em 1969 o Alvinegro foi campeão da Segunda Divisão Paranaense, não da Zona Sul como publicado; que em 1967 não houve o Quadrangular Barros Júnior (somente disputado em 1964) e que em 1990 e 1991, apesar de não haver uma final específica para isso, o Operário Ferroviário foi o Campeão do Interior do Paraná.
    Maiores informações na seção de História do site oficial do Fantasma: http://www.operarioferroviario.com.br.
    Ângelo Luiz De Col Defino