Copa do Brasil

Em mais uma goleada, o Fantasma viu o Juventude eliminá-lo do segundo campeonato mais importante do país e, além disso, levar 60% da renda para Caxias do Sul

A participação do Operário Ferroviário na Copa do Brasil terminou antes mesmo do torcedor sentir o prazer de estar na segunda competição mais importante do futebol brasileiro. Com mais uma goleada, agora ante o Juventude por 4 a 0, o Fantasma deu adeus à competição e ainda perdeu 60% da renda para os visitantes. A arrecadação de ontem apontou R$ 57, 6 mil, dos quais R$ 34,5 mil ficaram com a equipe gaúcha, fazendo cair por terra a intenção da equipe de Vila Oficinas de lucrar com a disputa do torneio e amenizar a crise financeira.

Após a partida, a torcida do Fantasma voltou a protestar e pedir a saída do presidente, Carlos Roberto Iurk. Os seguidores do Operário ainda gritaram “olé” para a troca de passes dos jogadores do Juventude. Para o técnico, Lio Evaristo, não há explicação para derrota. “O time não conseguiu desenvolver. Eu havia dito que o camisa 7 deles (Belusso) iria dar trabalho. Só que não conseguimos marcá-lo. Agora é hora de conversar”, aponta.

O atacante, Marcelinho, que jogou pela primeira vez após lesão muscular, lamentou a derrota de maneira enfática. “Eu saio frustrado do jogo de hoje. Nunca tinha sido eliminado na primeira rodada da Copa do Brasil”, declarou logo após a partida.

Por Emmanuel Fornazari (JMNews – 9/3/2012).

Operário é eliminado da Copa do Brasil após ser goleado para o Juventude por 4 a 0; Time volta atenções para se livrar da degola no Paranaense

Os quase três mil torcedores que foram ao Estádio Germano Krüger na noite da última quarta-feira viram de perto o sonho do Operário desmoronar diante do eficiente Juventude (RS). Em sua estreia na Copa do Brasil, o Fantasma não aproveitou a oportunidade de jogar em casa e foi eliminado sem a necessidade do jogo da volta pela equipe gaúcha, que goleou os ponta-grossenses por 4 a 0.

“Tenho que assumir a culpa, dei dois treinos pra eles [jogadores] e eles fizeram o que eu pedi o tempo todo. Não adianta nada, a solução pra gente é vitória”, disse o técnico Lio Evaristo, na entrevista coletiva após a partida. Com 30 minutos iniciais de uma defesa organizada e algumas chances de gol, parecia que o Fantasma teria fôlego para equilibrar as ações durante toda a partida. Mas aos 34 do 1º tempo, Jonatas Belusso desarmou Patrick e partiu para abrir o placar para os visitantes. Antes do intervalo, Belusso ainda ampliou em condição irregular, não observada pelo assistente Kléber Gil.

Já no 2º tempo, o descontrole foi total entre os jogadores do alvinegro. Soberano durante toda a etapa final, o Juventude ampliou aos 24 minutos, com o estreante Léo Maringá. Na sequência, Jonatas Belusso fez o terceiro dele na partida cobrando pênalti. Ainda teve tempo para Renato Saldanha ser expulso após entrada violenta sobre o artilheiro do jogo.

Por Sebastião Neto (Diário dos Campos – 9/3/2012).

Em sua primeira partida na Copa do Brasil, o Fantasma sucumbiu ao Juventude e perdeu de 4 a 0 em pleno Estádio Germano Kruger

Um jogo para ficar para a história. Porém, da forma que o torcedor do Operário não desejava. Na primeira vez que disputou a Copa do Brasil, o Fantasma foi eliminado já no primeiro jogo da primeira fase. O Juventude não tomou conhecimento e mesmo jogando fora de casa venceu por 4 a 0 no Estádio Germano Kruger, O nome do jogo foi o meia Belusso com três gols.

“Eu disse aos jogadores que eles iam explorar as jogadas como o camisa 7 (Belusso), já o conhecia. Mas não conseguimos fazer a marcação. Eu assumo a responsabilidade”, garante o técnico do Operário Lio Evaristo. O primeiro tempo terminou já em 2 a 0 para os visitantes. E o ditado se concretizou na segunda etapa com mais dois gols para o Juventude.

Com alguns lampejos individuais de Maiquinho e Ceará, o Operário teve duas boas na trave durante todo o jogo, contudo, após o primeiro gol do Juventude a equipe se perdeu. “Começamos bem o jogo. Os dois lados tiveram oportunidades, mas depois a coisa acabou complicando”, conta o técnico Lio Evaristo.

Com a derrota e a eliminação, o Operário perde a oportunidade de aumentar a receita do clube. O Juventude vai levar 60% da renda da partida que ficou em R$ 57,6 mil. O próximo jogo do Fantasma agora é contra o Roma de Apucarana, fora de casa, no domingo, às 16h, no Estádio Bom Jesus da Lapa, pelo Campeonato Paranaense.

Ficha técnica

Operário: Silvio, William, Neguette, Renato Saldanha, João Paulo (Osmar) e Patrick; Goiano, Marcelo Carvalho (Jocian) e Ceará; Baiano (Marcelinho) e Maicon.
Técnico: Lio Evaristo

Juventude: Jonatas; Élder Granja, Rafael Pereira, Bruno Salvador e Everton; Deoclécio, Nem, Léo Maringá e Mithyuê(Ramiro); Jonatas Belusso(Michel) e Eraldo(Alan).
Técnico: Alexandre Barroso

Local: Estádio Germano Kruger
Data: 07/03/12
Horário: 20h30
Árbitro: Ronan Marques da Rosa(SC)
Público e renda: 2.686 pagantes, 2.924 no total e R$ 57.600

Por Emmanuel Fornazari (JMNews – 8/3/2012).