Na partida de hoje as duas equipes precisam da vitória já que ambas ocupam as últimas posições na tabela de classificação

O treino com bola parada foi um dos fundamentos mais treinados durante os treinos

O treino com bola parada foi um dos fundamentos mais treinados durante os treinos

O Operário enfrenta hoje o Cianorte, às 20 horas, no estádio Germano Krüger. O Fantasma joga buscando sair da zona de rebaixamento do descenso, já que, depois da última partida a equipe ocupou a terceira posição na tabela, com três pontos. O Cianorte é o último colocado e não venceu nesta fase do campeonato.

Para a partida de hoje o técnico do Operário Paulo Foiani vai poder contar com o retorno de Lucas Batatinha, Dime, Sidnei e Correia, Cléber está fora, já que na última partida sofreu uma lesão no abdômen. ” O Sidnei ainda não está 100 %, mas tem a possibilidade dele ir para o banco, o Dime já está bem avançado, se houver necessidade de colocá-lo, podemos colocar. O Batatinha também evoluiu muito bem e tem a volta do Correia. Então, são três opções que a gente tem e isso ajuda, pois são jogadores experientes, só que também tem aquilo, atletas que estão a 30, 40 dias no departamento médico”, relata o técnico.

Durante o treino de ontem, o técnico trabalhou o fundamento de bola parada. “O que mais foi frisado foi isso. Trabalhei a bola parada, especifiquei atleta por atleta, quem iria marcar, isso desde quinta-feira, na sexta, no sábado e até mesmo no vestiário. Então, esses detalhes, em uma fase decisiva como essa em que estamos, fazem muita diferença. Eles têm que estar cientes disso”, comentou Foiani.

O técnico considera a partida contra o Cianorte muito importante para a conquista da classificação. “Eu acho que é uma partida que o Cianorte vem para o tudo ou nada, está vindo de duas derrotas e nós com o compromisso de fazer o dever de casa, a gente perdeu o jogo passado e agora temos que fazer valer o mando de campo, mas fácil não vai ser”, disse Foiani.

Foiani relatou que trabalha com a calculadora, já que para conquistar a classificação, precisa de 10 pontos dos 12 que estão sendo disputados nas próximas partidas. “Então, faltam sete, são duas vitórias e um empate, para esses quatro jogos, o que eu venho frisando é que dentro de casa temos que vencer”, expõem Foiani.

O técnico relata que pediu para os jogadores esforço dentro de campo durante todas a partida, já que na partida passada eles conseguiram fazer um bom primeiro tempo, mas no segundo, não conseguiram manter o ritmo. ” Na partida de domingo, nosso volume de jogo foi maior, melhor, só que no segundo tempo o nosso time deu uma relaxada. Não sei se falta perna ou é relaxamento, mas o que eu passei para eles é que não pode existir ‘dorzinha’ ou cansaço, temos que fazer o jogo da nossa vida amanhã (hoje), porque no domingo temos outra batalha pela frente”, concluiu o Foiani.

Por Rafaela Serrato (Diário dos Campos – 26/03/2014).

Os comentários estão encerrados.