Após a derrota do para o líder do campeonato o Operário se prepara para as próximas partidas que o técnico encara como final

Sandro foi o autor do primeiro gol do Operário, próxima partida será na quarta-feira Foto: Geraldo Bubniak

Sandro foi o autor do primeiro gol do Operário, próxima partida será na quarta-feira
Foto: Geraldo Bubniak

Duas finais, é desta forma que Gilberto Pereira encara os próximos desafios do Operário no Campeonato Paranaense, contra o Cianorte, às 20h30, no Albino Turbay, na quarta-feira e o J.Malucelli, no dia 9, no Germano Krüger. Após a derrota da equipe para o Coritiba na última quinta-feira, pelo placar de 2 a 1, o técnico sabe que terá dois desafios complicados.

Gilberto, em entrevista coletiva após a partida de quinta-feira, comentou que é preciso tirar uma lição do resultado em cima do Coritiba. “Nós vamos partir para duas decisões. A gente pode tirar desse resultado de hoje uma lição e a gente precisa evoluir, porque se isso não acontecer, se não evoluirmos em todos os sentidos não vamos classificar, eu não quero, nenhum momento ficar olhando para baixo, quero olhar para cima”, explicou Gilberto.

Em relação à partida, Gilberto acredita que o que faltou para a equipe, foi encaixar e manter o desempenho do começo da partida. “Acho que nós paramos de jogar um certo momento do jogo, mas mesmo assim o Coritiba tendo o domínio de jogo, poderíamos ter encaixado uma bola mais, jogando pé a pé, como fizemos no primeiro tempo”, relatou o técnico.

O técnico reconhece que as substituições não deram conta durante a partida, Thiago Bispo no lugar de Abuda, Marquinho entrou no lugar de Pedrinho e Lucas Batatinha que entrou no lugar do Richardson. “Depois que mexeu, piorou, não tem muito o que fazer. A gente muda quando há necessidade. Eu só lamento isso de mudar, mas o Abuda cansou e dai, o cruzamento entrou do lado e do outro. Estamos sofrendo por ter perdido um jogo que poderia ter sido diferente”, expôs o técnico. Para Gilberto a saída de Abuda fez a diferença dentro de campo. “Eu sempre peço que todo mundo tenha focado a leitura do jogo e no momento da saída do Abuda, ele vinha segurando bem ali dentro e teve algumas oportunidades a gente fica lamentando isso”, conta Gilberto.

O técnico acredita que o Operário merecia um resultado diferente. “Quando você faz substituições e elas não acontecem da forma que tem que, aí você fica correndo risco, infelizmente na qualidade eles fizeram. Com um resultado que poderia ser diferente, por que o Coritiba não fez tanta coisa diferente para fazer um resultado desse”, comentou o técnico.

Por Rafaela Serrato (Diario dos Campos – 01/03/2014).

Os comentários estão encerrados.