Em meio a crises extracampo o Operário inicia no ‘torneio da morte’ essa é a primeira partida de seis contra o rebaixamento do Campeonato

Paulo Foiani chegou ontem e assistiu ao treino do Fantasma o técnico começa as atividades na segunda-feira Foto: Rodrigo Covolan

Paulo Foiani chegou ontem e assistiu ao treino do Fantasma o técnico começa as atividades na segunda-feira
Foto: Rodrigo Covolan

O Operário tem seis rodadas para se recuperar e mostrar que é um time que merece permanecer na primeira divisão do Campeonato da Paranaense. Hoje começam as disputas do ‘torneio da morte’, no primeiro confronto o Fantasma enfrenta o Arapongas, às 16 horas, no Germano Krüger. Na outra partida o Cianorte recebe o Toledo, no mesmo horário.

Após uma semana tensa de muitas dispensas, o técnico que vai comandar a partida é o preparador físico Jackson Schwengber, ele conta que conversou com o grupo, para resgatar a confiança durante as partidas. “O que eu tentei falar para os jogadores é para voltar a alegria, porque ninguém quer estar hoje na situação que está o Operário, até porque estar no currículo de um jogador que ele disputou um torneio da morte ou tem uma queda no paranaense, até para conseguir emprego mais para frente é complicado, temos que tentar dar confiança para esses jogadores voltar alegria do elenco para conseguir fazer o melhor deles”, explica Jackson.

Ele relata que por não conseguir um resultado positivo os atletas foram perdendo a confiança e conta que isso foi trabalhado com os atletas. “Quando você empata muito, começa a gerar desconfiança até para eles mesmo, é uma bola que tem que definir, até para fazer o gol, eles erram tentamos dar o máximo de confiança a eles”, comenta o técnico interino.

Jackson comentou que o torcedor verá um time com muita vontade e consciente da necessidade de vitória. “Vontade não vai faltar, os jogadores estão cientes da responsabilidade que tem de deixar o Operário na 1° divisão, então vai ser muito importante o jogo, o apoio da torcida, até porque esses jogadores, não queriam estar nessa situação. No domingo eles vão fazer o máximo deles, não vai faltar vontade e se Deus abençoar, saímos com essa vitória”, diz.

Sobre o adversário, Jackson considera o mais difícil que irá enfrentar durante esse torneio, que tem ainda Toledo e Cianorte. “A expectativa é a melhor, de uma vitória de um bom jogo, mas sabemos que será uma partida difícil, eu acho que é o jogo mais difícil do ‘torneio da morte’, jogo mais acertado, mas a gente está incumbido de fazer um bom jogo, para começar com o pé direito”, expõe Jackson.

Para a partida de hoje o atacante preá volta a campo, Ícaro e Vitor Hugo, que sentiram dores no treinamento vão para a avaliação no departamento médico e são dúvida para a partida de hoje.

Técnico Interino
Jackson já foi treinador de uma equipe amadora em Curitiba. No Operário, ele trabalha desde 2012, começou com a equipe de base, e relatou que ficou contente com a confiança da diretoria. “Estou encarando como um desafio, já fui treinador, mas no amador, é um semi-profissional de Curitiba, mas é um desafio muito grande e fico feliz pela confiança da diretoria. Eu preparador físico, fui incumbido disso e aceitei até por estar muito tempo no clube”, conta Jackson.

Paulo Foiani é confirmado como novo técnico
Após o anúncio do desligamento do técnico Gilberto Pereira, a diretoria confirma o nome de Paulo Foiani como novo treinador do Operário. O comandante chegou a Ponta Grossa na noite de sexta-feira (14), mas a contratação só foi oficializada pelo presidente Laurival Pontarollo no sábado de manhã.
Foiani conversou com o elenco alvinegro na manhã de ontem e assistiu o treino. O técnico deve assumir as atividades no clube na segunda-feira. Paulo trabalhou no Toledo na primeira fase do Campeonato e já comandou o alvinegro, no Marcílio Dias-SC, conquistou o título da Divisão de Acesso do Catarinense.

Por Rafaela Serrato (Diário dos Campos – 16/03/2014).

Uma resposta a Diário dos Campos: Operário começa a luta contra o rebaixamento