Após a derrota o técnico admitiu que a situação da equipe é crítica, mas irá buscar a classificação entre os oito

Lucas Batatinha foi o autor do primeiro gol do Fantasma na partida Foto: Fábio Matavelli

Lucas Batatinha foi o autor do primeiro gol do Fantasma na partida
Foto: Fábio Matavelli

O Operário empatou em dois gols a partida de domingo contra o Arapongas, com esse resultado o Fantasma ficou em nono lugar com o mesmo número de pontos do Prudentópolis, próximo adversário alvinegro, que é o oitavo, mas tem uma vitória a mais.

Durante entrevista coletiva depois da partida, o técnico Gilberto Pereira admitiu que o momento que o Fantasma se encontra é difícil. “Estamos em um momento crítico, em uma zona muito difícil, vai servir sempre de lição e para aprendermos em todos os aspectos, temos que recuperar isso, então o próximo jogo é aquele em que faremos o melhor”, comentou o técnico.

O Fantasma tem cinco rodadas pela frente e o técnico relatou que encara todas como decisão. “Nós temos obrigação de buscarmos uma dessas oito vagas. Se torna mais um jogo decisivo, como vai ser os outros. Nós estamos perto de uma classificação e muito próximos de uma zona crítica. Então, são duas situações que fazem diferença a vitória, que a gente não conseguiu buscar (na partida de domingo)”, explica Gilberto.

Para o próximo jogo, Gilberto vai poder contar com Andrezinho, que não entrou na partida de domingo, Renê que já se recuperou da lesão e Richardson que cumpria suspensão. “Nós almejamos a recuperação e vamos incentivar os jogadores, não adianta chegar ali e bater tudo, as minhas lamentações e minhas criticas eu guardo para resolver juntamente com eles, porque amanhã precisamos novamente dos atletas, a lamentação é o resultado, mas eles lutaram muito”, disse Gilberto.

Segundo Gilberto Pereira, as ausências durante a partida, atrapalharam o que foi planejado para a partida. “Lamentamos por não termos ganho a partida e por não termos as opções que poderíamos ter dentro de campo, perdemos dois volantes e nós só tínhamos o Matheus também(que estava entre os relacionados mas não entrou). Desmontou o planejamento que a gente fez, lógico que o torcedor não fica sabendo de tudo e cai nas costas do treinador”, relatou Gilberto.

Em relação à partida, Gilberto destacou o desgaste dos jogadores, mas considerou que não faltou vontade aos atletas. “A equipe não fez uma partida ruim, tanto é que o torcedor sai, assim como a gente, chateado. Foi contra uma equipe que nos desgastou demais”, expôs o técnico. Gilberto completa: “Nós imaginávamos que poderíamos ter um resultado diferente, mas a equipe não foi mal no jogo, houve um desgaste sim. Tanto é que já tínhamos feitas três substituições, tivemos que fazer adaptações para poder terminar o jogo equilibrado defensivamente e tentar, logicamente suprir a frente”.

Operário empata mais uma em casa
O Operário empatou a partida do último domingo (16) contra o Arapongas, o jogo terminou em 2 a 2. Esse foi o quarto empate do alvinegro, que tem uma derrota e uma vitória. A próxima partida é contra o Prudentópolis, às 20 horas, no Newton Agibert, na próxima quarta-feira.

O primeiro gol da partida foi do Arapongas, aos cinco minutos do primeiro tempo José Elias marcou. No final do primeiro tempo, Lucas Batatinha marcou o primeiro do Fantasma, ainda na primeira etapa da partida, o técnico precisou fazer a substituição de Dime, que se machucou, por Ricardinho. No segundo, o Operário entrou jogando melhor e aos cinco minutos Marquinhos fez o segundo para a equipe alvinegra.

Gilberto tirou William Rocha para a entrada de Abuda. Aos 33 minutos a bola volta a balançar as redes, Vinicius marcou para o Arapongas e empata a partida: 2 a 2. Gilberto fez mais uma substituição, saiu Pedrinho e entra Telê, mas o resultado permaneceu o mesmo.

Por Rafaela Serrato (Diário dos Campos – 18/02/2014).

Os comentários estão encerrados.