Jogo entre duas maiores torcidas do interior é decisivo para Fantasma e Tubarão; FPF confirmou duelo para o domingo, às 16 horas, no Estádio do Café; arbitragem será de Adriano Milczvski

Técnico Paulo Turra ganhou, na tarde de ontem, mais duas dúvidas para escalar o alvinegro Foto: Fábio Matavelli

Técnico Paulo Turra ganhou, na tarde de ontem, mais duas dúvidas para escalar o alvinegro
Foto: Fábio Matavelli

O Operário Ferroviário já vive o clima do clássico do interior com o Londrina, que acontece neste domingo no Estádio do Café. Válida pela 8ª rodada do Campeonato Paranaense, a partida que começa às 16 horas é cercada de expectativa por se tratar do principal duelo entre equipes de fora da capital no Estadual deste ano. Por um lado, o Tubarão é o líder do returno e a melhor campanha da classificação acumulada, enquanto o Fantasma ostenta o melhor ataque do 2° turno – ao lado do Coritiba, com 14 gols – e está sem perder nos últimos cinco jogos.

E quem entende de clássico é Rone Dias. O experiente meia de 29 anos já teve passagens por clubes como Avaí (SC), Guarani (SP), Paraná Clube e Vila Nova (GO), por isso está acostumado a viver o clima de um jogo que reúne grandes torcidas. “Será mais um clássico para a minha carreira, que com certeza tem um significado especial. Sabemos da importância deste jogo não só pela situação na tabela, mas pelo que representam as duas equipes” destaca Rone, que é um dos artilheiros do alvinegro no Paranaense com cinco gols.

Torcida que, inclusive, não deve faltar no Estádio do Café. A diretoria do Londrina confirmou que o objetivo do clube é colocar mais de 20 mil torcedores para apoiar o alviceleste diante do Operário; mas, no ano passado, não teve torcida que segurasse o jovem Maicon Veiga, que marcou o gol da vitória visitante por 1 a 0 aos 45 minutos do 2° tempo. Mesmo assim, o técnico Paulo Turra destaca que o grupo precisa ter a mesma concentração das últimas partidas. “Não podemos pensar que a gente precisa ter uma motivação extra para pegar o Londrina, precisamos pensar sim em vencer e seguir com chance de classificar para a Série D”, disse o comandante.

Na tarde de ontem, Paulo Turra comandou um trabalho coletivo em campo reduzido no Estádio Germano Krüger, e ganhou mais duas dúvidas para escalar o time: o meia Sandro e o atacante Paulo Sérgio não treinaram e estão em observação pelo Departamento Médico. Das duas ausências, a situação de Sandro é mais preocupante, já que o apoiador sentiu dores na costela. Com isso, o técnico do alvinegro deve levar a dúvida sobre atuar com dois ou três volantes contra o Londrina até momentos antes da partida: caso jogue com três volantes, Sidnei será o titular no lugar de Sandro e Rone Dias será o único armador do time de Vila Oficinas.

Arbitragem
A Federação Paranaense de Futebol (FPF) confirmou na tarde de ontem a arbitragem para o clássico entre Londrina e Operário. Quem apita o jogo é o curitibano Adriano Milczvski, que será auxiliado por Aristides Pereira da Silva Junior e Everson de Souza. O 4° árbitro é Nilo Neves de Souza Junior, que curiosamente apitou o duelo entre Fantasma e J. Malucelli no último domingo, em Ponta Grossa.

Por Sebastião Machado Neto (Diário dos Campos – 05/04/2013).

Uma resposta a Diário dos Campos: Clima de clássico move Operário para decisão em Londrina