Início de segundo turno. O pensamento em Vila Oficinas é realizar uma campanha totalmente diferente do primeiro turno, no qual o Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) conseguiu somar apenas nove pontos, com aproveitamento de 27,2%. Pouco para uma equipe que pretendia brigar pelo título no ano do centenário.

Se superar a campanha do ano anterior parece uma possibilidade remota, atingir o mesmo patamar do ano passado também não será uma tarefa fácil.

Em 2011, o Operário conseguiu a classificação para a Copa do Brasil e Série D do Campeonato Brasileiro. Para chegar pelo menos a competição nacional, o Fantasma precisa fazer 25 pontos neste segundo turno.

Isso acontece porque no ano passado, o Cianorte, segundo classificado à Série D, terminou em quarto lugar com 34 pontos, ou seja, 51,5% de aproveitamento nos dois turnos.

Além disso, o quarto colocado no primeiro turno do ano passado, o Iraty, fez 20 pontos assim como o Arapongas em 2012, o que reforça a projeção.

Para alcançar os 25 pontos, o alvinegro de Vila Oficinas precisa ter 75% de aproveitamento com oito vitórias e um empate, nos onze jogos, ou sete vitórias e quatro empates.

15 pontos para ficar na 1º divisão
Já para fugir do rebaixamento – a situação que mais preocupa os torcedores – o Fantasma precisa de 15 pontos no segundo turno. Em 2011, o Paraná foi rebaixado com 23 no total e o Rio Branco se salvou com 24 pontos.

A situação é bem parecida este ano, visto que o Rio Branco terminou o primeiro turno de 2011 com nove pontos, igual ao Operário hoje, e permaneceu na primeira divisão.

Por Emmanuel Fornazari (Redação em Campo – 28/2/2012).

Uma resposta a Redação em Campo: Operário precisa de 25 pontos para chegar à Série D e 15 para fugir do rebaixamento