O Operário dominou o primeiro tempo, mas não foi absoluto, o Toledo carimbou a bola na trave e teve suas chances. O Fantasma marcou dois e aproveitou a posse de bola para construir a vitória no primeiro tempo. O segundo se dividiu em duas partes: Na primeira, o TCW foi melhor; na segunda, a violência e a falta de critério na arbitragem foram superiores.

Na próxima rodada o Operário recebe o Rio Branco, no próximo domingo (25), no Germano Krüger, às 16h. No mesmo dia e horário, o Toledo recebe o Roma no 14 de dezembro.

Toledo coloca bola na trave, mas é o Operário que joga melhor e vence
Aos 6 minutos o Operário já dominava o meio campo, mas a primeira chance é do Toledo, Diego Dedoné recebe, parte pra cima da defesa e é derrubado por Neguete, Ferraz cobra na barreira. Aos 9, Willian recebe nas costas da defesa e chuta cruzado, Oliveira torce para a bola sair e só tiro de meta para o Operário. Aos 15, Dedoné chuta fraco para a fácil defesa de Oliveira.

O Fantasma tem maior posse de bola, não cria, mas também não deixa o Toledo criar. Aos 27, Ferraz aparece pela ponta direita, chuta cruzado, mas não entra, um minuto depois, o meia do Toledo recebe na entrada da pequena área e carimba a trave do goleiro Silvio.

Após bola alçada na área, aos 31, o goleiro Oliveira não saiu, a bola sobra pra Neguete que chuta forte no canto superior esquerdo para abrir o placar. Dois minutos depois Ferraz chuta forte, mas Silvio faz a defesa. Com 36, Fernandinho se atrapalha e perde a bola, Ceará chuta forte e amplia para o Fantasma. Aos 40, o treinador Lio Evaristo tira Jean, que não fez uma boa partida, e coloca Eduardo, para ajudar na saída de bola pela ala direita da defesa do Toledo. Aos 48 minutos, o árbitro Everaldo Lambert dos Reis encerra o primeiro tempo.

Toledo começa melhor, mas a arbitragem fraca prevalece
A pedido do árbitro, o Toledo muda o uniforme para o segundo tempo, porque as cores dos uniformes estavam parecidas, o árbitro deveria ter notado isso no começo do jogo. Com quatro minutos, Eduardinho leva o drible e dá um ponta pé em Baiano, árbitro dá só o amarelo, ficou barato para o lateral do Toledo. O TCW começa a perder a cabeça e fazer faltas mais fortes. Com dez minutos, o jogo esfria até que Irineu recebe o passe de Guilherme em baixo da trave, chuta mascado, a bola acerta a balisa e não entra.

Com 20, o Toledo demonstra vontade, vai pra cima e faz pressão, consegue algumas chances, mas sem perigo para o Fantasma. Aos 27, a bola sobra para o zagueiro Rodrigo, em cima da linha da pequena área, que, sem goleiro, chuta pra fora. O jogo fica sem emoção e com muitas agressões dos dois lados, mas ninguém foi punido pelo árbitro, que esteve na média no primeiro tempo, mas foi muito mal no segundo, não soube se impor, deixou o jogo correr e perdeu o respeito dos jogadores. Aos incríveis 49, o árbitro encerra a partida.

FICHA TÉCNICA
OPERÁRIO 2 X 0 TOLEDO

Operário: Silvio; Correia (Rogério), Renato Saldanha, Neguete, e George; Paulo Foiani, Patrick, William e Ceará (Jocian); Maiquinho e Baiano (Ícaro).
Técnico: Lio Evaristo.

Toledo: Oliveira; Jean (Eduardo), Rodrigo, Everton e Fernandinho (Edson Carlópolis); Eurico, Cícero, Irineu (Anderson) e Ferraz; Guilherme e Diego Dedoné.
Técnico:Rogério Perrô.

Local: Estádio Germano Krüger, em Ponta Grossa.
Data/Horário: 18/03/12, às 16h.
Árbitro: Everaldo Lambert dos Reis.
Assistentes: Alexandre Cavalcanti de Souza e Sidmar dos Santos Meurer.

Público/Renda: pagantes 1.700/ total 1.778 / R$24.315,00
Cartões Amarelos: Neguete e Correiapara o Operário, Eduardinho para o Toledo.
Gols: Neguete aos 31 minutos e Ceará aos 36 minutos do 1º tempo pelo Operário.

Por Tiago Santos (Redação em Campo – 18/3/2012).

Os comentários estão encerrados.