Na terceira rodada do returno do Campeonato Paranaense 2012, Roma e Operário se enfrentaram na tarde de hoje (11), no Estádio Bom Jesus da Lapa, em Apucarana. Apesar da promoção de ingressos, poucos torcedores se fizeram presentes para acompanhar a partida. Os 598 pagantes que compareceram, assistiram a vitória do Operário por 2 a 0, fora de casa.

De bola parada, Operário marca e conquista vitória parcial
Depois de duas investidas pelo lado direito, o placar foi aberto antes dos dez minutos de jogo. William cobrou escanteio, Neguete no meio da área mergulhou e cabeceou a bola que balançou as redes aos seis minutos de jogo para o Operário.

Após o gol, a equipe de Ponta Grossa manteve a posse de bola e administrava a vantagem no placar. O Roma tentava partir para o gol nos contra-ataques, mas sem muita qualidade. Aos 20 minutos, Patrick perdeu um gol praticamente feito e deixou de ampliar o marcador para o time de Vila Oficinas. Baiano furou na primeira tentativa, e depois Patrick chutou para a linha de fundo e a bola passou a direita do goleiro Spada.

O s donos da casa começaram a levar perigo a defesa do Operário a partir dos 25 minutos. Pedro Ivo assustou Sílvio, por duas vezes ele chutou e o goleiro defendeu. Na segunda tentativa, Sílvio conseguiu mandar a bola para a linha de fundo.  Perto dos 40 minutos, o técnico do Roma, Fábio Giuntini, fez a primeira alteração no time para tentar o gol de empate ainda no primeiro tempo. Ele tirou Gilson, lateral, para a entrada do atacante Alex Silva.

O Roma continuou atacando e Sílvio era quem impedia do gol de empate acontecer. Todo contra-ataque da equipe de Apucarana, era uma defesa. E assim foi até o apito final,  o Roma parando na ‘muralha’ construída pelo goleiro Sílvio. Já o Operário, em um único lance de bola parada, marcou.

Com arbitragem confusa, Operário vence
Aos cinco minutos da etapa complementar, Sergio, do Roma, cometeu falta e recebeu cartão amarelo. Ele reclamou muito com o árbitro Antônio Denival de Morais e acabou recebendo cartão vermelho na sequência. Antes de deixar o gramado, ele empurrou o árbitro e saiu recebendo vaias da torcida.

Com nove minutos, o árbitro deixou de marcar uma penalidade para o Operário. Ceará foi derrubado dentro da área e ele, nada marcou, e sequer advertiu Ceará com amarelo. Com um a menos em campo, o técnico Fábio Giuntini mexeu mais uma vez. Pedro Ivo deixou o campo para a entrada de Ricardinho, aos 13 minutos. Aos 15 minutos, mais um pênalti não marcado, agora para a equipe do Roma. Alex Pires foi derrubado dentro da área, Antônio Denival de Morais, longe do lance, deu tiro de meta para o Operário.

Aos 22 minutos, Sílvio mais uma vez impediu que o gol de empate do Roma acontecesse.  A bola sobrou para Grafite, que chutou forte. Sílvio pulou e defendeu com segurança, evitando o balançar das redes. Dez minutos depois, Sílvio mais uma vez foi o salvador, desta vez, quem chutou foi Souza. Com 33 minutos, o Sílvio saiu mal no lance e não achou a bola, Alex Pires cabeceou e acabou mandado a bola por cima do travessão, desperdiçando.

Na saída de bola errada do goleiro Spada, Baiano ampliou o marcador. Ele recebeu de Jocian e mandou a bola pro fundo do gol aos 35 minutos.

A pressão do Roma continuou até o final do jogo, mas a bola insistiu em não entrar. Final de jogo no Bom Jesus da Lapa e vitória da equipe de Ponta Grossa.

FICHA TÉCNICA
ROMA 0 X 2 OPERÁRIO

Roma: Spada; Grafite (Felipe Capixaba), Luís Paulo, Tiago Coutinho e Gilson (Alex Pires); Sergio, Bahia, Pedro Ivo (Ricardinho) e Léo; Souza e Daniel.
Técnico: Fábio Giuntini.

Operário: Silvio; Correia (Marquinhos), Neguete, Henrique e George; Paulo Foiani, Patrick, William (Jocian) e Ceará; Maicon (Marcelinho) e Baiano.
Técnico: Lio Evaristo.

Estádio: Bom Jesus da Lapa, em Apucarana.
Data/Horário: 11/03/2012, às 16h.
Árbitro: Antônio Denival de Morais.
Assistentes: José Carlos Dias Passos e João Marcelo de Souza.

Público/Renda: 598 pagantes / 708 total / R$ 8.535,00.
Cartões Amarelos: Sergio, pelo Roma; Correia, Ceará, pelo Operário.
Cartão Vermelho: Sergio, pelo Roma.
Gols: Neguete, aos 6 minutos do 1º tempo, Baiano aos 35 minutos do 2º tempo, pelo Operário.

Por Regina Ferreira (Redação em Campo – 11/3/2012).

Os comentários estão encerrados.