Antes do início do jogo a torcida do Arapongas deu exemplo ao aplaudir em pé o técnico Lio Evaristo, que dirige o Operário, mas que foi um dos responsáveis por subir o Arapongão à Primeira Divisão. No final do jogo o mesmo Lio foi expulso, mas viu o Operário sair com uma vitória empolgante de virada. Mas o grande detalhe do jogo foi a marcação de cinco penalidades máximas, duas foram defendidas pelos goleiros, mas em três delas saíram os gols do jogo, que acabou em 2 x 1 para o Fantasma.

O Operário voltou a vencer após três derrotas seguidas. O Arapongas perdeu a primeira partida em casa, mas se mantém na quarta posição, atrás somente dos líderes Atlético, Cianorte e Coritiba.

Três pênaltis marcados, só um convertido
Apesar de ter sido ovacionado pela torcida do Arapongas, o técnico Lio Evaristo não quis saber e botou o Operário para cima do Verdão. A pressão não deu certo inicialmente, apesar das investidas do Fantasma. Procurando não ficar acuado, o time da casa também foi para cima.

E quando duas equipes buscam o ataque a todo o momento a tendência é que o jogo fique bonito. Aos 18 minutos, o Operário teve a grande chance de abrir o placar em uma cobrança de pênalti, mas na cobrança de Ícaro, o goleiro Victor fez uma excelente defesa e manteve o placar fechado.

O jogo que já havia ficado quente após a defesa do pênalti do Operário, ficou mais quente ainda quando o zagueiro Renato Saldanha foi expulso por pegar a bola com a mão, deixando o Fantasma com um a menos. Poucos minutos depois novo pênalti marcado, dessa vez para o Arapongas, Edu Amparo foi para a cobrança e abriu o placar para o time da casa.

Não parou por aí, mais um pênalti foi marcado, o terceiro do jogo. Agora Tiago Adan assumiu a responsabilidade, mas não… Ele não fez o segundo do Arapongas, isso porque o arqueiro Filipe defendeu.

Isso tudo aconteceu no primeiro tempo, três pênaltis, um marcado e dois desperdiçados, uma expulsão e muita emoção na partida. A julgar por isso, a segunda etapa prometia muita emoção. Era esperar para ver.

Mais dois pênaltis e a virada do Operário
Emoção pouca é bobagem, logo aos dois minutos da segunda etapa adivinha o que aconteceu? Sim, mais um pênalti marcado, o segundo para o Operário, sofrido por Ícaro, Baiano foi para a cobrança e empatou o jogo. Paulo Roberto Alves Jr, árbitro do jogo havia assinalado quatro penalidades, duas foram convertidas, a pergunta era se haveriam mais penalidades máximas no jogo.

Pois é, aos 13 minutos mais um pênalti, de novo para o Operário, de novo em cima de Ícaro e mais uma vez Baiano foi para a cobrança e converteu. Virada do Fantasma em um jogo com cinco pênaltis. A essa altura não dava para duvidar de mais nada.

Mas, e o jogo? O Operário voltou melhor, mesmo com um jogador a menos, pois aproveitava a desorganização da defesa araponguense, apesar da partida estar sendo decidida em lances de bola parada (penalidades).

Depois de tanta adrenalina, o jogo ficou mais calmo, o Arapongas tinha dificuldades e se defendia como dava e apesar da vantagem numérica em campo, não conseguia impor seu jogo. Aliás, o time do Norte teve pouquíssimas chances de gol no segundo tempo, apesar das tentativas.

Com toda a emoção esgotada, o jogo foi para seu final com a vitória do Fantasma e a primeira derrota do Arapongas sob seus domínios. Na próxima rodada, o Arapongas visita o Toledo na quarta-feira (15), às 20h30. Enquanto o Operário recebe o Londrina, no Germano Krüger, também na quarta-feira, às 21h50.

FICHA TÉCNICA
ARAPONGAS 1 X 2 OPERÁRIO

Arapongas: Victor; Maicon (Cafu), Douglas, Raul e Edinho; Fabinho, Edmilson, Sandro (Rafael Mineiro) e Edu Amparo (João Salles); Léo Itaperuna e Tiago Adam.
Técnico: Daryo Pereira.

Operário: Filipe; Jeferson, Renato Saldanha, João Paulo e George (Wellington); Marcelo, Patrick e Ceará (Jocian); Marcelinho (Claudio), Baiano e Ícaro.
Técnico: Lio Evaristo.

Local: Estádio Municipal José Chiapin (Estádio dos Pássaros), em Arapongas.
Data/Horário: 12/02/2012, às 17h.
Árbitro: Paulo Roberto Alves Jr.
Assistentes: Fábio Gazarini Silva e Sidmar dos Santos Meurer.

Público/Renda: Não divulgado.
Cartões amarelos: Douglas pelo Arapongas. Renato Saldanha, Ceará, Ícaro e Jocian pelo Operário.
Cartão vermelho: Renato Saldanha pelo Operário.
Gols: Edu Amparo, aos 29 minutos do 1º tempo para o Arapongas. Baiano, aos 4 e aos 13 minutos do 2º tempo para o Operário.

Por Tiago Piontekievicz (Redação em Campo – 12/2/2012).

Os comentários estão encerrados.