Em mais uma goleada, o Fantasma viu o Juventude eliminá-lo do segundo campeonato mais importante do país e, além disso, levar 60% da renda para Caxias do Sul

O Operário não resistiu ao Juventude e foi eliminado da Copa do Brasil com mais uma goleada no ano. Meta agora é recuperação no Campeonato Paranaense - Foto: Clebert Gustavo

O Operário não resistiu ao Juventude e foi eliminado da Copa do Brasil com mais uma goleada no ano. Meta agora é recuperação no Campeonato Paranaense - Foto: Clebert Gustavo

A participação do Operário Ferroviário na Copa do Brasil terminou antes mesmo do torcedor sentir o prazer de estar na segunda competição mais importante do futebol brasileiro. Com mais uma goleada, agora ante o Juventude por 4 a 0, o Fantasma deu adeus à competição e ainda perdeu 60% da renda para os visitantes. A arrecadação de ontem apontou R$ 57, 6 mil, dos quais R$ 34,5 mil ficaram com a equipe gaúcha, fazendo cair por terra a intenção da equipe de Vila Oficinas de lucrar com a disputa do torneio e amenizar a crise financeira.

Após a partida, a torcida do Fantasma voltou a protestar e pedir a saída do presidente, Carlos Roberto Iurk. Os seguidores do Operário ainda gritaram “olé” para a troca de passes dos jogadores do Juventude. Para o técnico, Lio Evaristo, não há explicação para derrota. “O time não conseguiu desenvolver. Eu havia dito que o camisa 7 deles (Belusso) iria dar trabalho. Só que não conseguimos marcá-lo. Agora é hora de conversar”, aponta.

O atacante, Marcelinho, que jogou pela primeira vez após lesão muscular, lamentou a derrota de maneira enfática. “Eu saio frustrado do jogo de hoje. Nunca tinha sido eliminado na primeira rodada da Copa do Brasil”, declarou logo após a partida.

Por Emmanuel Fornazari (JMNews – 9/3/2012).

Os comentários estão encerrados.