Os abnegados operários ferroviários da extinta Viação Paraná Santa Catarina certamente não imaginavam que em 1912, quando se debruçavam sobre as mesas para discutir

Os abnegados operários ferroviários da extinta Viação Paraná Santa Catarina certamente não imaginavam que em 1912, quando se debruçavam sobre as mesas para discutir a difusão do futebol em Ponta Grossa, criavam condições favoráveis para o nascimento de um dos mais populares times do futebol do Paraná. Eles também emprestaram o nome da própria profissão para batizar a agremiação.

Deste esforço, de trabalhadores braçais responsáveis pela construção de ferrovia, além do progresso para a nossa região, nos deram de presente o Operário Ferroviário. Hoje, o glorioso alvinegro de Vila Oficinas entra para o seleto grupo de times brasileiros que atingem esta expressiva marca. Mais do que isso: construiu uma história de glórias e de conquistas.

Nomes como Paraílio Mendes, Romano, Pedro Wosgrau (Toco), Bonato, Pazinato, Tuffy, Arlindo, Ribamar, Brandalise, Sapuca, Gracindo, Adilson, Vilmar, Werner, Celso Reis, Toió, Admilson, Ladel, Drailton, Éder, Edenelson, Clóvis, Carlos Alberto Dias, Leomar, Liza, Ivan, Cambará, Serginho Paulista, Serginho Catarinense, Ceará, Mateus, Silvio, Neguete, Maikon e Baiano. Todos esses jogadores, cada um sua época, honraram as tradições operarianas, proporcionando alegria aos torcedores e contribuindo para esta rica história.

Para deixar marcado no manto da história esta data especial, o Jornal da Manhã publica nesta terça-feira uma edição especial comemorativa dos 100 anos do clube, com fotos inéditas; relatos de personagens que fizeram parte da trajetória alvinegra nessas dez décadas; entrevistas exclusivas com ex-jogadores e ex-diretores; além de muitas curiosidades.

Por Márcio Krzyuy (JMNews – 1/05/2012).

Os comentários estão encerrados.