O Fantasma teve a possibilidade de virar a partida e sair com os três pontos em bela atuação de Ceará e Maiquinho, porém, o técnico Lio Evaristo saiu feliz com o empate

Dos 239 torcedores presentes no Eco Estádio Janguito Malucelli, mais da metade tinha as cores preto e branca do Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) e não do Corinthians-PR. Porém, os apaixonados pelo Fantasma chegaram ao estádio para ver a repetição de erros de marcação já recorrentes pela equipe de Vila Oficinas. Com uma marcação frágil, Andrezinho e André Luiz deram dois a zero para o Corinthians-PR antes dos 30 minutos do jogo. Tempo suficiente também para o zagueiro Renato Saldanha do Operário ser expulso.

Contudo, foi depois da expulsão que o Fantasma começou a se acertar em campo. “Parece que precisamos ter um jogador expulso para que a marcação funcione e não deixemos nossos zagueiros desprotegidos”, intriga-se o técnico Lio Evaristo. Com a habilidade e inspiração de Maiquinho e Ceará, o Operário começou a mudar os rumos do jogo ainda no primeiro tempo. Após bela jogada individual, Maiquinho foi derrubado dentro da área. Ceará chamou a responsabilidade e fez o primeiro gol dos alvinegros de Ponta Grossa.

No segundo tempo, apesar de levar alguns sustos, o Operário se mostrava mais incisivo no sistema ofensivo. Também em jogada individual, Ceará driblou dois jogadores e bateu na saída do goleiro Ricardo Vilar. Empate no Eco Estádio com posterior pressão do Fantasma. Ceará teve mais duas oportunidades de virar o jogo, porém, faltou condicionamento físico para o camisa 10. “Foi um empate importante pela reação da equipe. Infelizmente faltou perna para conseguir fazer mais gols”, explica Ceará.

O empate foi considerado uma vitória por parte dos jogadores e do técnico Lio Evaristo, que na entrevista coletiva após o jogo afirmou que o resultado pode marcar mudanças para um segundo turno diferente. “Conseguímos resgatar o brio dos jogadores. Os meninos lutaram muito, mostraram poder de reação”; Entretanto, a vida do treinador do Fantasma não vai ser tornar mais fácil. Para o jogo de quarta-feira, Lio Evaristo já não pode contar com Renato Saldanha expulso e João Paulo e Ceará com terceiro amarelo. Por isso, o Operário corre contra o tempo para regularizar os novos contratados, com prioridade para o zagueiro Neguete, já que há apenas Henrique à disposição contra o Paranavaí para o setor. Com o empate, o Fantasma termina o primeiro turno em 10º lugar.

Reforços
A diretoria do Operário anunciou também mais duas contratações, ambas para o meio de campo. Paulo Foiani e Willian devem chegar nesta segunda-feira em Ponta Grossa. Segundo o gerente de futebol, Marcelo Sfeir, a regularização dos dois atletas é “um pouco difícil” já para o jogo de quarta-feira.

Campeão
O Atlético Paranaense foi o campeão do primeiro turno. Após a vitória por 3 a 1 contra o Paranavaí, o Furacão contou com o empate do então líder Cianorte com o Arapongas fora de casa para levantar a taça e já estar garantido na final do Campeonato Paranaense.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS: Ricardo Vilar; André Luiz, Alex Fraga, Seffrin, Nelsinho (Anderson Rosa); Javier Méndez, Diogo, Thiago Araújo (Samuel), Victor Júnior (Rodrigo Hote); Bruno Batata e Andrezinho.
Técnico: Leandro Niehues.

OPERÁRIO: Filipe, Claudinho(João Paulo), Renato Saldanha, Henrique e Wellington; Goiano (Saimon), Marcelo, Patrick, Ceará; Maicon e Ícaro (Leno)
Técnico: Lio Evaristo

Local: Eco Estádio Janguito Malucelli Mossunguê
Público: 239 pagantes
Renda: R$ 7.035
Árbitro: Paulo Roberto Alves Jr.
Assistentes: Marcelo Pavan e Luiz Paulo Galli

Por Emmanuel Fornazari (JMNews – 26/2/2012).

Os comentários estão encerrados.