Derrotado pelo Atlético-PR, Operário volta atuar em casa no domingo, diante o Roma - Foto: Fabio Matavelli

Derrotado pelo Atlético-PR, Operário volta atuar em casa no domingo, diante o Roma - Foto: Fabio Matavelli

Após perder a primeira no Estadual, alvinegro conta com a recuperação de jogadores para se reerguer na próxima rodada, quando volta a jogar em casa

Ainda sem ter vencido no Campeonato Paranaense, o Operário tem como principal desafio agora recuperar seus jogadores a tempo para a segunda partida em casa que o clube faz no domingo (29), diante o Roma.

Após ter perdido para o Atlético-PR por 1 a 0, na noite da última quarta-feira, o técnico Carlos Paiva agora espera não ter os problemas que enfrentou nas duas primeiras rodadas. Na derrota em casa, o treinador alvinegro não pode contar com dois jogadores – George e Edson Grilo – e espera com a recuperação de pelo menos um para a terceira rodada.

George foi vetado no meio de semana, mas existe a possibilidade dele retornar no domingo. A mesma expectativa se cria em torno de Grilo, que se machucou na véspera da estreia do Operário no Paranaense.

Apesar da derrota, Carlos Paiva acredita na evolução de sua equipe. Antes mesmo do confronto com o Atlético o treinador do Operário projetava que o elenco alvinegro atingiria o seu ponto ideal – em termos físicos, inclusive – dentro de quatro a cinco rodadas.

A derrota para o rubro-negro ao menos marcou o retorno da torcida alvinegra em bom número ao Germano Krüger. Se na Série D o estádio de Vila Oficinas registrou borderôs reduzidos, a partida contra o Atlético-PR mesmo à noite, com chuva, atraiu mais de quatro mil pessoas (o público pagante foi de 3894 pessoas, e uma renda de R$ 87264). Com isso, a expectativa é de uma boa presença nas arquibancadas contra o Roma.

No Atlético, o técnico Juan Carrasco ressaltou a evolução de seu time depois da vitória no Germano Krüger. Para o treinador, a parte ofensiva melhorou, comparada à vitória sobre o Londrina. “Melhoramos na parte ofensiva. Tivemos chances mais claras de converter. O importante é que criamos chances e isso dá confiança”, afirmou. “A equipe foi muito compacta. Conseguimos defender a vantagem”, completou.

O técnico do Operário, Carlos Paiva, não terá muito tempo para trabalhar sua equipe, e deve comandar um último treino hoje, onde deve definir a equipe titular que enfrenta o Roma, no Germano Krüger.

Da Redação (Diário dos Campos – 27/1/2012).

Uma resposta a Diário dos Campos: Operário espera por recuperação