O Operário Ferroviário foi a campo contra o Rio Branco neste domingo, em Paranaguá, disposto a reverter os resultados negativos das últimas rodadas do Campeonato Paranaense de 2012. Com muita disposição por parte dos atletas e um jogo consistente, a equipe de Ponta Grossa abriu o placar aos 18 minutos de jogo, com o centroavante Ícaro convertendo penalidade máxima.

A vantagem do Fantasma aumentou aos 6 minutos do segundo tempo, quando o centroavante Marcelinho aproveitou bola lançada por Zé Leandro e converteu a jogada em gol. A partir daí a situação começou a mudar para o Operário. Um minuto após o gol, o time ponta-grossense perdeu o meia Thiago Henrique, expulso depois de puxar a camisa do adversário. Com um a mais em campo, a equipe de Paranaguá conseguiu marcar o seu primeiro gol com Baiano, aos 8 minutos da segunda etapa.

Para piorar a situação, a arbitragem do jogo também passou a se complicar. Foram dois gols anulados, um para cada lado, e mais duas expulsões: Élvis, do Operário, e Baiano, pelo Rio Branco.

Desestabilizado em campo, o Operário não conseguiu mais segurar a equipe do litoral. O Paranaguá marcou dois gols em menos de três minutos. Os tentos foram assinalados pelo ex-operariano Hevandro, aos 32 minutos, e Rodrigo, aos 34 minutos da etapa complementar.

Sem técnico
Logo após a partida no Estádio Carangueijão, o técnico do Operário Ferroviário, Carlos Paiva, afirmou à imprensa que colocaria seu cargo à disposição da diretoria. Ele tem sido apontado pela torcida do Fantasma como um dos principais responsáveis pelos resultados negativos da equipe.

Com todos os problemas, e buscando reunir os cacos, agora o Operário precisa se preparar para enfrentar o Cianorte na próxima quarta-feira, fora de casa. O time do Oeste está na parte superior da tabela, na 3ª posição, enquanto o Fantasma começa a se preocupar com a zona do rebaixamento.

Por Marcos Silva (Diário dos Campos – 5/2/2012).

Os comentários estão encerrados.