No ano passado o Operário foi uma das sensações do Paranaense, chegando, inclusive, a ameaçar a liderança do Coritiba em determinadas ocasiões. Este ano, se quiser repetir a façanha de terminar o Estadual em terceiro, deverá encontrar uma concorrência maior no interior.

O Cianorte, que venceu o alvinegro na Decisão do Interior, manteve a base do Estadual, trocando o treinador, Gilberto Pereira por Paulo Turra (no Paranaense havia sido Ronaldo Bagé), mas conseguiu segurar praticamente todo o elenco que chegou às oitavas de final na Série D do Campeonato Brasileiro.

Além do Cianorte, Londrina, Arapongas e Toledo também podem ser os protagonistas do interior paranaense neste ano. Já o Iraty, que antes era apontado como um forte candidato a boas campanhas, vive a expectativa de uma realidade diferente, já que os investimentos não devem ser tão grandes este ano.

Quem pode surpreender no interior:
Operário: Sem o mesmo aporte financeiro do ano passado, o alvinegro se apega ao ano em que completa cem anos e à uma mescla do elenco da Série D e alguns reforços para repetir a boa campanha do ano passado.

Londrina: De volta à elite, o Tubarão vem ‘turbinado’ pelos investimentos do empresário Sérgio Malucelli, que promete um time forte e brigando pelas primeiras posições.

Cianorte: Aposta na regularidade. Há pelo menos dois anos é um dos times mais fortes fora da capital, e manteve a base do ano passado, campeã do interior e que chegou até às oitavas de final da Série D.

Toledo: Outro que vem da Divisão de Acesso e que segurou a comissão técnica e elenco, e aposta em um retorno à elite brigando pelas primeiras colocações.

Arapongas: Indo para seu segundo ano na primeira divisão, o time do norte agora espera contar com seu estádio, fato que não ocorreu em parte do 1º turno de 2010, para ter uma campanha ainda melhor que do ano passado

Roma, Paranavaí e Iraty: Com investimentos menores e elencos menos ‘badalados’, essas equipes podem migrar da zona intermediária da tabela para a parte de cima da classificação.

Da Redação (Diário dos Campos – 8/1/2012).

Uma resposta a Diário dos Campos: Concorrência do Operário deve ser maior