O Atlético-PR começa a se distanciar da liderança do returno do Campeonato Paranaense. Em nova atuação ruim, o time acabou derrotado por 2 a 0 pelo Operário, na Arena da Baixada, neste sábado, pela quarta rodada. Foi a segunda derrota do time atleticano para a equipe ponta-grossense, já que já havia vencido em casa, no primeiro turno.

A equipe rubro-negra caiu para a terceira colocação, com 7 pontos, e pode ver o rival Coritiba abrir cinco pontos na liderança, caso vença o lanterna Cascavel, neste domingo.

O Operário sustenta uma grande campanha em jogos fora de casa, nos quais sofreu apenas uma derrota, por 3 a 2, para o líder Coritiba. Com a vitória, o time chegou aos 9 pontos, assumiu a segunda colocação, e segue na briga pelo título do returno, que lhe daria o direito de disputar uma final com os coxas-brancas, que já ganharam o primeiro turno.

O jogo
O Atlético tentou tomar a iniciativa, no começo da partida, mas o Operário fazia boa marcação. A principal jogada do time atleticano se originava de bolas paradas, cobradas por Paulo Baier. A primeira chance foi rubro-negra. Aos 4 minutos, Guerrón cruzou da esquerda para cabeçada de Paulinho, que passou rente ao poste direito.

O Operário, porém, tocava bem a bola, ganhava a batalha pelo meio-de-campo e explorava o lado direito da defesa, onde o zagueiro Manoel fazia papel de ala. O gol saiu em um jogada por este setor. Aos 13 minutos, Edson Grilo sofreu falta. Lisa cobrou bem, na área, e Mateus desviou para colocar o time do Ponta Grossa em vantagem.

O Atlético saiu em busca do empate e não se pode dizer que não teve chance de marcar. Por duas vezes, Paulo Baier esteve de frente para o gol e perdeu. Aos 15 minutos, camisa 10 recebeu passe de Nieto, dentro da área, mas bateu por cima. Aos 22, ele invadiu a área pela direita e bateu cruzado, mas a bola saiu, rente ao poste direito.

O time rubro-negro insistia, pressionava, mas o gol não saía. Aos 33 minutos, o empate só não aconteceu por obra do goleiro Ivan. Nieto recebeu cruzamento da esquerda e cabeceou à queima-roupa, mas o arqueiro voou no canto direito e fez linda defesa.

Novamente explorando os espaços na ala-direita, o Operário ampliou, aos 35 minutos. Ceará fez bela jogada e tocou para Ícaro na área. O atacante balançou na frente de Flávio e bateu rasteiro, no canto direito.

O técnico procurou corrigir a fragilidade da ala-direita, no segundo tempo, substituindo Manoel pelo lateral-direito Wagner Diniz. Também escalou Kléberson no lugar do volante Vitor.

O Atlético pressionou desde o reinício do jogo, aproveitando o recuo do Operário, que passou a apostar nos contra-ataques. Ao contrário do primeiro tempo, porém, as chances de gols não apareciam.

Mais na vontade do que na técnica, o time da Baixada seguiu fustigando a a defesa do Operário, que resistia. Madson era quem mais procurava o gol. Aos 20 min ele invadiu pela esquerda e soltou uma bomba, mas o goleiro desviou para escanteio.

O Operário ficou com dez homens, aos 29 minutos, quando Ceará entrou de carrinho em Paulinho e foi excluído do jogo pelo árbitro. Mesmo assim, o time de Ponta Grossa criou grande chance de fazer os terceiro gol, aos 31 minutos. Mateus escapou livre, mas demorou para concluir e Renan Rocha defendeu. O meia ainda apanhou o rebote e chutou na trave direita.

Mostrando muita garra, a equipe do interior conseguiu suportar a pressão e segurou a vitória, que o levou à segunda colocação, empatado em pontos com o Coritiba.

ATLÉTICO-PR 0 X 2 OPERÁRIO

Atlético-PR
Renan Rocha; Manoel, Gabriel, Flávio e Paulinho; Vitor, Kléberson, Róbston (Adaílton), Paulo Baier, Mádson e Nieto.
Técnico: Geninho

Operário
Ivan, Lisa, André, Alison e Edson Grilo, Zé Leandro, Serginho Paulista, Cambará (Serginho Catarinense) e Ceará, Mateus (Diego) e Ícaro.
Técnico: Amilton Oliveira

Data: 19/03/2011 (sábado)
Local: Estádio Arena da Baixada
Árbitro: Antônio Valdir dos Santos.
Assistentes: Guilherme Roggenbaum e João Marcelo de Souza
Cartões amarelos: Nieto, Guerrón (Atlético-PR), Ceará, Mateus, Ivan (Operário)
Cartões vermelhos: Ceará (Operário)
Gols: Mateus, aos 13min e Ícaro, aos 35min do primeiro tempo.

Por Redação (UOL Esporte – 19/3/2011).

Os comentários estão encerrados.