O Operário venceu o Atlético neste sábado. Jogando na Arena da Baixada, o time de Ponta Grossa fez dois gols no primeiro tempo e mantém vivo o sonho de conquistar o segundo turno para disputar a final com o Coritiba. O time do Alto da Glória, que joga neste domingo contra o Cascavel agradece, já que pode aumentar ainda mais a vantagem no topo da tabela e seguir rumo ao título do Paranaense.

Para o Furacão, resta vencer os próximos jogos e ficar na torcida para que Operário e Coritiba percam pontos na competição, para ainda sonhar com o título do Paranaense.

Operário faz dois e garante a vitória
A primeira chance perigosa foi do Atlético, aos quatro minutos. Guerrón recebeu na ponta esquerda e fez o cruzamento para Paulinho, que desviou de cabeça e mandou à direita do goleiro Ivan. Quatro minutos depois, após cobrança de falta de Paulo Baier, o zagueiro Flávio mandou de cabeça, mas a bola saiu por cima do gol.

E aos 11, a resposta do Operário. Em belo chute de fora da área, Mateus quase abriu o placar, mas Renan Rocha fez a defesa, salvando o Furacão. Só que no minuto seguinte, o camisa 11 apareceu para marcar. Após cobrança de falta, deu um toque de cabeça para o gol.

A torcida atleticana aproveitou para apoiar o time, que foi em busca do empate. Na primeira chance de igualar o marcador, aos 15, Paulo Baier cobrou falta no travessão e animou ainda mais a torcida. A pressão continuava e Paulinho – de novo de cabeça – quase empatou aos 19, mas a bola passou por cima do gol. Baier apareceu de novo, aos 22. Após receber ótimo passe de Nieto, chutou por cima do gol, perdendo ótima chance de empatar o jogo.

No minuto seguinte, o capitão apareceu de novo. Nieto brigou com o zagueiro, a bola sobrou para Guerrón. O equatoriano viu Baier passando e tocou para o camisa 10 chutar cruzado e ver a bola passar raspando a trave direita de Ivan. O ritmo diminuiu, mas o Atlético chegou aos 33, quando Nieto mandou de cabeça e Ivan salvou o Fantasma.

Mas quem marcou foi o time de Ponta Grossa. Ícaro recebeu passe e a defesa atleticana parou. O camisa 9 driblou Gabriel e bateu no contrapé  de Renan Rocha, ampliando a vantagem na Arena.

Pressão sem resultado
No segundo tempo, o Furacão tentou pressionar, mas não criava oportunidades para dar perigo ao goleiro Ivan. A melhor chance saiu aos 20 minutos, quando Paulo Baier tocou para Madson, que bateu forte e o goleiro do Operário mandou para escanteio.

Dois minutos depois, o Baixinho apareceu de novo. Após receber passe na área, ele bateu forte, mas em cima de Ivan, que fez a defesa. Aos 26, Kleberson cruzou e Nieto cabeceou para o gol, mas o goleiro do Operário defendeu. No minuto seguinte, Madson bateu de fora da área e o camisa 1 do Fantasma mandou para escanteio.

O meia Ceará recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Com um homem a mais, Geninho foi para o tudo ou nada. Ele promoveu a estreia do atacante Adaílton. Mesmo assim, quem quase marcou foi o Fantasma. Mateus ganhou de Wagner Diniz e ficou livre para fazer o terceiro. Na primeira tentativa, Renan Rocha fez a defesa, e na segunda, o atacante acertou a trave.

O Atlético tentava atacar, mas na forma do abafa e sem organização. Melhor para a torcida do Operário, que fez a festa na Arena da Baixada. Enquanto isso, a torcida atleticana – insatisfeita com a derrota – ficou nos gritos contra o presidente, Marcos Malucelli e alguns jogadores do elenco rubro-negro.

FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO 0 X 2 OPERÁRIO

Atlético: Renan Rocha; Manoel (Wagner Diniz), Gabriel, Flávio e Paulinho; Vitor (Kleberson), Robston (Adailton), Paulo Baier e Madson; Guerrón e Nieto.
Técnico: Geninho.

Operário: Ivan; Lisa, André, Alisson e Grilo (Rodolfo); Zé Leandro, Cambará (Serginho Catarinense), Serginho e Ceará; Mateus (Diego Martins) e Ícaro.
Técnico: Amilton Oliveira.

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR).
Data/Horário: 19/03/2011, às 16h.
Árbitro: Antônio Valdir dos Santos.
Assistentes: Guilherme Roggenbaum e João Marcelo de Souza.

Cartões Amarelos: Nieto (Atlético). Ceará Mateus André Lisa (Operário).
Cartões Vermelhos: Mateus (Operário).
Público/Renda: 10.007 pagantes – 11.007 presentes / R$ 136.560,00.
Gols: Mateus, aos 12 e Ícaro, aos 35 minutos do primeiro tempo (Operário).

Por Miguel Locatelli (Redação em Campo – 19/3/2011).

Os comentários estão encerrados.