Jogando no estádio Albino Turbay, em Cianorte, devido ao Estádio dos Pássaros ainda estar interditado, o Arapongas precisava vencer para se distanciar da zona de rebaixamento, mas enfrentava justamente o time com a melhor campanha fora de casa, literalmente o Fantasma dos mandantes. E o Arapongas não conseguiu segurar o Operário que venceu a partida por 4 a 2.

Pressão desde o inicio
Mal o Arapongas havia saído do vestiário e já tinha tomado um gol, já que Ceará fez de cabeça para o Operário logo aos 2 minutos. Isso parecia que ia piorar a situação do Arapongão, que estava com a zaga toda improvisada, mas o time do norte passou a pressionar bastante o Operário, principalmente com o atacante Luciano, tanto que aos 28 minutos Wellington carimbou a trave do goleiro Ivan.

E justamente quando o Arapongas estava melhor no jogo, o Fantasma ampliou o marcador com Ícaro, aos 34 minutos e para piorar, aos 40 minutos Ícaro marcou de novo. O jogo parecia perdido para o Arapongas, mas aos 43 minutos, Maicon chutou cruzado, a bola bateu na zaga do Operário e entrou na meta do goleiro Ivan. Dessa forma o Verdão foi para o intervalo com um pouco de ânimo para tentar empatar no segundo tempo.

Operário domina a partida
No início do segundo tempo, o jogo se manteve bastante movimentado e logo aos 7 minutos saiu o quarto gol do Operário com Mateus. Sendo assim o Arapongas se lançou à frente, o técnico Toninho Moura, colocou Rafael Mineiro no lugar do volante Peu, a substituição deu resultado e o jogador marcou o segundo do Verdão. Com o susto, Amilton Oliveira, técnico do Operário, reforçou o meio de campo.

O jogo parecia liquidado, mas parecia que mais emoção viria até o final, aos 42 Bruno Maranhão marcou o terceiro gol do Arapongas, o que deu um toque de dramaticidade à partida, pois o Verdão continuava levando perigo à meta de Ivan, apesar do Operário ser mais eficiente e objetivo nas conclusões. Com o gol o Arapongas acordou e buscou até o final o gol de empate, até o goleiro Danilo foi para a área tentar marcar. Com o Verdão no pescoço, o Operário ficou um pouco nervoso e teve Gilson expulso após dar uma dura entrada em Wellington, o tom dramático do jogo ganhou mais intensidade quando o quarto árbitro levantou a placa com quatro minutos de acréscimos.

Mas o resultado foi mesmo 4 a 3 para o Operário, um jogo que se fosse resumido em poucas palavras poderia ser descrito como totalmente aberto e emocionante, que apenas 316 pagantes testemunharam. Na próxima rodada o Arapongas volta para o Estádio dos Pássaros, para pegar o Iraty, no Domingo, às 15h30 e o Operário viaja para Curitiba, para enfrentar o Atlético, no Sábado, às 16h.

FICHA TÉCNICA:
ARAPONGAS 3 X 4 OPERÁRIO

Arapongas: Danilo; Maicon, Alex Silva, Marcelo Guerreiro e George (Anderson Paim); Alexandre, Peu (Rafael Mineiro), Wellington e Rogerinho (Willians), Luciano e Bruno Maranhão
Técnico: Toninho Moura.

Operário: Ivan; Lisa, André, João Paulo e Rodolfo (Gilson); Lucas (Serginho Catarinense), Cambará, Serginho Paulista; Ceará; Ícaro (Vinícius) e Mateus.
Técnico: Amilton Oliveira.

Local: Estádio Albino Turbay, em Cianorte.
Data/Horário: 13/03/2011, às 15h30.
Árbitro: Émerson da Silva
Assistentes: Marcos Rogério da Silva e Marco Aurélio do Amaral

Público/Renda: R$ 4.260,00, para 316 pagantes
Cartões Amarelos: Rodolfo, Ícaro (Operário), Maicon (Arapongas)
Cartão Vermelho: Gilson (Operário)
Gols: 1° tempo: Ceará (Operário), aos 2 minutos do 1° tempo; Ícaro (Operário), aos 34 e 39 minutos do primeiro tempo; Maicon (Arapongas), aos 43 minutos. – 2° tempo: Mateus (Operário), aos 7 minutos; Rafael Mineiro (Arapongas), aos 15 minutos, Bruno Maranhão (Arapongas), aos 42 minutos.

Por Tiago Piontekievicz (Redação em Campo – 13/3/2011).

Os comentários estão encerrados.