Com atraso de meia-hora, o Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) deu o pontapé inicial para o Paranaense 2012.

O hotel Vila Velha foi o espaço escolhido para a apresentação do planejamento alvinegro.

Após o protocolo da diretoria, sentaram à mesa seis jogadores e o técnico Carlos Paiva.

Dentre os atletas selecionados para a coletiva estavam os novatos Jucian, Renato Saldanha e Rodrigo Ribeiro.

Da esq. p/ dir.: Jucian, Renato Saldanha, Rodrigo Ribeiro, Baiano, Ceará e Marcelinho

Da esq. p/ dir.: Jucian, Renato Saldanha, Rodrigo Ribeiro, Baiano, Ceará e Marcelinho

Trajando o manto alvinegro, também apareceram os remanescentes Ceará e Marcelinho e, o ídolo da torcida, Baiano.

Cada atleta se apresentou e todos empossaram discurso comum: “É uma grande felicidade e responsabilidade vestir a camisa do Operário no ano do centenário”, disseram cada qual a sua maneira.

Já o comandante do Fantasma avaliou a permanência da maioria dos atletas indicados como um possível diferencial. “Dos jogadores que queria que ficassem, apenas três não conseguimos manter”. Paiva se refere ao goleiro Fabrício e aos volantes Cícero e Serginho Paulista.

São 13 pertencentes ao elenco da Série D que continuam em Vila Oficinas. Já daqueles anunciados pela diretoria como novos reforços, dois acabaram desistindo em cima da hora.

O goleiro Ricardo Villar e o lateral Wesley “Tuta” não farão parte do plantel para 2012. Segundo o técnico Carlos Paiva, ”intermediários interferiram na negociação e coisas que não foram pedidas antes atrapalharam no acerto final”.

Porém, para suprir estas duas posições, já foram anunciados outros nomes. O goleiro Gabriel, hoje no Luverdense-MT, e o lateral Claudinho, que estava no Paysandu-PA.

O novo meio-campista do Fantasma, Rodrigo Ribeiro, explica que veio para o Operário “por conta da tradição da equipe no futebol paranaense”. Segundo ele, o alvinegro é “um time de respeito e agora há o centenário com outra motivação”.

Já o atacante Marcelinho – que permanece da Série D – acredita que a primeira coisa a ser feita é conhecer os companheiros. “Vamos conversar, alguns já foram adversários. É momento de entrosar e focar no trabalho”.

Ceará
O meia Ceará acertou a sua permanência pouco antes da coletiva. Ele se diz satisfeito com o acordo e conta com o aval de Baiano. “Ele já me atrapalhou muito como adversário, agora que eu vim, ele ia sair?! Ainda bem que ficou. É o cara que dá a bola para gente fazer o gol”, comemorou o atacante.

No entanto, Ceará ainda precisa se recuperar clinica e fisicamente. O meia fez uma astroscopia no joelho direito. Ele aponta 25 dias como prazo para estar apto novamente para os trabalhos com bola.

Ceará segue amanhã com o grupo para Tibagi. Ele fará todo o tratamento na cidade vizinha. “Estamos levando todos os equipamentos e equipe. Não vai ter problema”, garante o diretor de futebol, Maurício Barbosa. O Fantasma retorna a Ponta Grossa no dia 25 de novembro.

Por Emmanuel Fornazari (Redação em Campo – 8/11/2011).

Os comentários estão encerrados.