O Operário sacudiu a má fase e jogou para o lado do Atlético. Nesta quarta-feira, no estádio Germano Kruger, o Furacão foi derrotado por 1 a 0, e novamente o mal desempenho durante o jogo arrancou os protestos da torcida atleticana, que compareceu em bom número nos Campos Gerais.

Com o resultado, o Rubro-Negro cai para a sétima colocação, com seis pontos. Já o Fantasma sobe para o nono lugar, com quatro pontos.

Fantasma assombra o Furacão
Parecia que o Atlético iria mostrar uma postura diferente das últimas partidas e não assustaria o seu torcedor. Logo no início dominou e deu trabalho à defesa do Operário. Guerrón chegou a abrir o placar aos 10 minutos, mas, o tento foi bem anulado pela arbitragem, pois o equatoriano estava em posição irregular.

Assim como nas últimas três partidas, o Furacão saiu com o revés no primeiro tempo. O Fantasma abriu o placar aos 16 minutos em um chute de primeira de Evandro, que acabou desviando em Manoel e enganou o goleiro João Carlos. O tento do time da casa deu uma esfriada no jogo.

O Rubro-Negro chegava sem muito perigo nas bolas paradas de Paulo Baier e o Operário apenas administrava o resultado construído.

Jogo disputado
O segundo tempo começou disputado, mas novamente voltou ao marasmo da etapa inicial graças aos lances mais ríspidos cometidos por ambos os times. Quem tinha trabalho mesmo era a arbitragem. Tanto que o árbitro Leandro Júnior Hermes não titubeou quando o zagueiro Manoel deu um pontapé em Mateus, aos 32 minutos, e com o paraguaio Ivan González, que chutou o adversário no chão, no último minuto de jogo. Ambos foram expulsos.

Melhor para o Operário, que ainda teve uma grande oportunidade nos pés de Serginho Catarinense, no último minuto de jogo. Final em Ponta Grossa: Operário 1×0 Atlético.

Por Paraná Online (27/1/2011).

Os comentários estão encerrados.