Testes irão diagnosticar a forma física dos jogadores do Operário que disputam a Série D do Brasileiro

Assessoria de Imprensa
O Laboratório de Avaliação Física, Saúde e Esporte (Lafise) do curso de Educação Física, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), inicia os testes de avaliação física dos atletas do Operário Ferroviário Esporte Clube, na próxima terça-feira, no Campus Universitário de Uvaranas. A parceria entre a universidade e o clube ponta-grossense foi definida em recente visita do presidente alvinegro, Carlos Roberto Iurk, ao reitor João Carlos Gomes, visando à preparação da equipe ponta-grossense para a disputa da Série D do Campeonato Brasileiro. O Fantasma de Vila Oficinas estréia na competição em 17 de julho, longe de casa, contra o Mirassol (SP).

Os testes que vão diagnosticar a forma física dos jogadores do Operário vão ser comandados pelo professor Edson Itary Kaminagakura, com a participação de acadêmicos do curso de Educação Física. Os detalhes da programação foram definidos em conjunto como preparador físico do clube, Antônio Marcos. A apresentação do time para a disputa do brasileiro está programada para a próxima segunda-feira, 13. No dia seguinte, os atletas já estarão no Campus de Uvaranas, para uma bateria de exames, das 8 às 9 horas, atividade que será repetida nos dias 15, 16,17, 20 e 21, com cinco jogadores a cada dia.

Para a terça-feira (14), após os exames laboratoriais, os jogadores farão testes de ‘bioimpedância’, exame que permite media a composição corporal dos atletas, medindo percentuais de gordura, massa magra e água corporal. Em seguida passarão por avaliações antropométricas, que avalia as medidas físicas do atleta. Na quarta-feira (15), os jogadores farão exame de eletrocardiograma e testes para medição da capacidade anaeróbica (RAST). Na sexta-feira, realizam testes de força muscular e testes de capacidade aeróbica (LEGER).

Nos exames de bioimpedância e antropometria, segundo o Edson, serão medias as dobras cutâneas (triciptal, subescapular, supraeliaca, perna medial, peitoral, abdominal e coxa medial), diâmetros ósseos (biepicondilar úmero e biepicondilr fêmur) e perímetros (braços e perna medial). Através dos exames bioquímicos, serão levantados os índices de hemograma, glicose, creatinina, Ck LDH, ácido úrico, parcial de urina, parasitológico de fezes.

O professor Edson Itaru Kaminagakura vê na parceria com o Operário a oportunidade de desenvolver novos estudos sobre o condicionamento físico de atletas de alto rendimento, além de abrir campo de estágio para os acadêmicos de Educação Física, que deverão acompanhar a rotina de preparação do time. “Recentemente realizamos um trabalho em parceria com o Exército, na avaliação e preparação de atletas para a Corrida do Facho, com significativa melhora no desempenho dos corredores”, disse. Conforme o pesquisador, estes estudos com jogadores do Operário deverão, inclusive, ser publicados e apresentados em eventos da área de Educação Física.

Net Esporte Clube (9/6/2011).

Os comentários estão encerrados.