Fantasma possui 5 derrotas, 4 empates e 3 vitórias. Última sequência de quatro vitórias aconteceu em fevereiro

O Operário leva a necessidade de vitória para o jogo do final de semana contra o Oeste. Os três pontos aparecem como fundamentais para que a equipe continue na briga por uma vaga na segunda fase da Série D do Campeonato Brasileiro.

E além da vitória no domingo, o Fantasma precisa de uma sequência de bons resultados para conseguir a classificação. Dessa forma, vai ter que lutar contra retrospecto recente.

Nas últimas doze partidas, o Operário venceu três, empatou quatro e perdeu cinco partidas, com um saldo negativo de seis gols, já que fez 10 e levou 16 gols.

Dhiego Martins marca contra o Iraty na última sequência de vitórias - Foto: Luciano Mendes

Dhiego Martins marca contra o Iraty na última sequência de vitórias
Foto: Luciano Mendes

Estes resultados apontam um aproveitamento de 36,1%, tendo conquistado 13 pontos dos 36 possíveis. “Claro que tivemos um declínio, mas ainda não há nada perdido. Primeiro passo é vencer o Oeste”, pontua o supervisor de futebol, Jair Pereira.

Para o técnico, Amilton Oliveira, não se pode analisar esta sequência de jogos, porque dentro dela há partidas por campeonatos diferentes. “Não tem nada a ver. No paranaense, chegou uma hora que não tínhamos mais chances de cair, tampouco alcançar o líder. E na série D tivemos um começo ruim e estamos nos recuperando”, garante o treinador.

Com apenas um ponto em nove disputados no Brasileiro, o Operário tem cinco jogos para ultrapassar os adversários. Uma nova derrota pode, praticamente, selar a desclassificação.

A última vez que o Operário embalou quatro vitórias seguidas foi em fevereiro quando venceu Cianorte, Paraná – fora de casa – e Iraty e Corinthians-PR, dentro de casa.

O jogo contra o Oeste acontece no estádio Germano Kruger, ás 16h de domingo. Os ingressos seguem com mesmos preços: R$ 50 para arquibancada coberta e R$ 20 para geral, ambos com direito a meia-entrada.

Por Emmanuel Fornazari (Net Esporte Clube -11/8/2011).

Os comentários estão encerrados.