Diretor técnico do Operário confirma que gestores ainda buscam mais um jogador para a posição; Amilton Oliveira conta que atleta chega na próxima semana

Um plantel de 25 jogadores para a série D. A meta já está praticamente alcançada. Hoje, o Operário Ferroviário Esporte Clube (OFEC) possui 24 atletas na equipe profissional. A vaga ‘em aberto’ vai ser completada por “meia habilidoso, que jogou no São Paulo e no estado de Minas Gerais”, informa o técnico Amilton Oliveira.

A declaração foi dada à Rádio MZ Fm na noite de quarta-feira. O comandante contou ainda que o jogador deve chegar na terça, ou quarta-feira da próxima semana. Será uma opção para armação das jogadas que hoje tem o meia Ceará como principal referência.

“Queremos um ponta de lança para fechar as contratações. Mas este jogador é difícil de encontrar. Se você souber de um, me avisa”, brincou o diretor técnico, Jair Pereira.

Para se tornar atleta do Operário, o meio-campista vai precisar entender a situação do clube, como pontua Pereira. “Nós temos uma noção. Não vamos extrapolar”, comenta o diretor, explicando que o salário não deve passar de R$ 15 mil.

Um dos nomes levantados pela imprensa foi afastado por Jair Pereira. “Se o Léo Lima aceitasse jogar a Série D por R$ 8 mil, R$ 10 mil, R$ 15 mil, eu assinava o contrato. Mas é um pouco difícil de acontecer”.

Levando em conta a informação de que o jogador passou por São Paulo e pelo estado de Minas Gerais. E, além disso, sabendo que o grupo gestor é do Rio de Janeiro, especula-se o nome do meia Lenilson.

O atleta passou pelo São Paulo, jogou no Atlético Mineiro e estava no Duque de Caxias (RJ), clube que os gestores conhecem de perto. Porém, não há nada oficial, nem mesmo comentário sobre o jogador pelos mandatários do Operário.

Por Emmanuel Fornazari (Net Esporte Clube – 17/6/2011).

Os comentários estão encerrados.