Academia defasada e tomada por equipamentos enferrujados e departamento médico precário. Melhorias na estrutura é fundamental para técnico amilton permanecer

Uma academia com poucos e defasados equipamentos. Alguns, inclusive, com marcas de ferrugem. Departamento médico resumido a três macas e um aparelho de ultrassom para aliviar as dores através de pequenos choques. A lavanderia sem nenhuma centrífuga. Jogadores chegam a treinar com meias e calções úmidos. Essa é a realidade do Operário Ferroviário, terceiro colocado no Campeonato Paranaense, que sofre com uma estrutura precária e longe do ideal para um time profissional. Sem equipamentos na academia e sem um departamento médico decente, a recuperação física dos atletas lesionados fica comprometida. Exemplos não faltam. O meia Edson Grilo demorou cerca de 40 dias para se recuperar. O atacante Dhiego Martins ficará ainda mais 10 dias afastado dos gramados. A melhoria na estrutura é fator preponderante para a permanência do treinador Amilton Oliveira em Vila Oficinas. O contrato do técnico expira no domingo, dia da última rodada do Campeonato Paranaense. O adversário do Fantasma é o Corinthians-PR. Após isso, o Operário ainda terá a final do interior contra o Cianorte ou Arapongas.

Academia do Operário está defasada e tomada por equipamentos com marcas de ferrugem

Academia do Operário está defasada e tomada por equipamentos com marcas de ferrugem

Por Diego Antonelli (JMNews – 27/4/2011).

Os comentários estão encerrados.