Furacão – que estava invicto há seis partidas – cai para a terceira posição. Time de Ponta Grossa encosta no líder Coritiba; Mateus e Ícaro marcaram

O Atlético-PR perdeu para o Operário por 2 a 0 na tarde deste sábado, na Arena da Baixada, pela quarta rodada do returno do Campeonato Paranaense. Os atacantes Mateus Paraná e Ícaro fizeram os gols do time visitante, que vai a nove pontos, ultrapassa o Rubro-Negro e encosta no líder Coritiba.

Com o resultado, o Furacão perdeu a invencibilidade. A equipe tinha vencido cinco e empatado uma das últimas seis partidas. Além disso, o Atlético-PR, que permanece com sete pontos, pode perder outras cinco posições com a conclusão da rodada, no domingo.

O próximo compromisso do time comandado por Geninho é na quarta-feira, às 21h50m, contra o Roma Apucarana, no Estádio Bom Jesus da Lapa. No meso dia, mas às 20h30m, o Operário recebe o Rio Branco de Paranaguá, no Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa.

Duas chances, dois gols
O primeiro tempo teve como destaque a forte marcação do Operário e a falta de pontaria do Atlético-PR. A equipe da casa teve quatro chances claras de marcar. Em duas, Paulinho cabeceou para fora. Nieto, também de cabeça, obrigou Ivan a fazer difícil defesa. Na melhor oportunidade do Rubro-Negro, Paulo Baier cobrou falta no ângulo, mas o goleiro pulou e espalmou para escanteio.

O Operário, mais eficiente na conclusão dos lances, abriu o placar aos 12 minutos. Após cobrança de falta da esquerda, o atacante Mateus Paraná desviou e fez 1 a 0. Na segunda chance clara que teve, o time visitante ampliou. Aos 35, o também atacante Ícaro recebeu livre na área, cortou o zagueiro atleticano e bateu no canto – Operário 2 a 0.

Foto: Furacão desperdiçou muitas chances, inclusive com Paulo Baier, e perdeu em casa (Foto: Agência Estado)

Furacão desperdiçou muitas chances, inclusive com Paulo Baier, e perdeu em casa
Foto: Agência Estado

– A gente perdeu muitas chances. Criamos oportunidades e poderíamos ter saído na frente. Eles tiveram duas chances e fizeram – resumiu o meia Paulo Baier na saída para o vestiário.

Operário se segura e vence
Na volta para o segundo tempo, o técnico Geninho fez duas alterações: tirou o zagueiro Manoel e o volante Vitor para as entradas de Wagner Diniz e Kleberson. O Furacão partiu para o ataque, mas de forma desordenada. O time errava passes e não ameaçava o gol de Ivan. Restava ao Atlético-PR os cruzamentos para a área e os lances de bola parada. Foi assim que Nieto e Guerrón, ambos de cabeça, quase descontaram para o Rubro-Negro.

Madson, em raro momento de lucidez do Furacão, bateu firme, mas Ivan saltou e mandou para escanteio. O Baixinho teve outras duas chances – uma dentro da área e outra de longe – e o goleiro do Operário novamente levou a melhor. Aos 28 minutos, Ceará cometeu falta em Paulinho, recebeu o segundo cartão amarelo e deixou a equipe visitante com um a menos. Geninho aproveitou para trocar o volante Robston pelo atacante Adaílton.

O Furacão teve outras chances – como em chutes de Madson, Gabriel e Paulo Baier. O goleiro Ivan, um dos destaques do jogo, fez boas defesas e garantiu a vitória. A torcida rubro-negra não perdoou o time e gritou “time sem vergonha” ao fim da partida.

Atlético 0 x 2 Operário

Atlético: Renan Rocha; Manoel (Wagner Diniz), Gabriel, Flávio e Paulinho; Vitor (Kleberson), Robston (Adaílton), Madson e Paulo Baier; Guerrón e Nieto.
Técnico: Geninho

Ivan; Lisa, André, Alisson e Edson Grilo (Rodolfo); Zé Leandro, Serginho Paulista, Cambará (Serginho Catarinense) e Ceará; Mateus Paraná (Diego Martins) e Ícaro.
Técnico: Amílton Oliveira

Gol: Mateus Paraná aos 12 e Ícaro aos 35 minutos do primeiro tempo
Cartões amarelos: Guerrón, Nieto (Atlético), Ivan, Ceará e Matheus (Operário)
Cartão vermelho: Ceará (Operário)
Data: 19/03/2011. Local: Arena da Baixada, em Curitiba
Árbitro: Antonio Valdir dos Santos, que será auxiliado por Guilherme Roggenbaum e João Marcelo de Souza.
Público: 11.007 torcedores. Renda: R$ 55.030

Por Fernando Freire (GloboEsporte.com – 19/03/2011).

Os comentários estão encerrados.