Mesmo que venha a vencer todos os próximos jogos, Operário pode ficar de fora das oitavas por conta de seu saldo de gols

A situação do Operário na Série D do Campeonato Brasileiro ainda pode ser considerada delicada. A equipe de Vila Oficinas tem a pior campanha do grupo A7, com quatro pontos, e uma perspectiva nada favorável se quiser se classificar para as oitavas de final da competição nacional.

Mesmo que venha a vencer os próximos três confrontos, o Operário ainda pode ficar de fora da segunda fase da quarta divisão nacional. Isso pode acontecer caso ocorra uma combinação de resultados que deixaria o time ponta-grossense fora das oitavas por conta de seu saldo de gols.

DESAFIO Segundo pior ataque da Série D, Operário precisa melhorar desempenho para que equipe se classifique

DESAFIO Segundo pior ataque da Série D, Operário precisa melhorar desempenho para que equipe se classifique

Se na próxima rodada o Cene vencer o Mirassol, o Oeste somar seis pontos nas duas últimas rodadas, além do próprio Operário vencer os três próximos compromissos (contra Cerâmica, Cene e Mirassol), a definição da segunda vaga do grupo para a próxima fase seria decidia no saldo de gol, com o Oeste com 14 pontos e Operário e Cene com 13 pontos. As demais combinações de resultados são favoráveis à equipe de Vila Oficinas.

Atualmente o time de Vila Oficinas tem saldo negativo de quatro gols, enquanto que a equipe sul-matogrossense tem quatro positivo. Se as vitórias foram com vantagem mínima de um gol, o alvinegro chegaria a um saldo de um gol negativo.

Logo, se não quiser depender da ineficiência de seus concorrentes, o Operário terá de marcar pelo menos quatro gols, ou, em ao menos em uma das próximas três partidas, vencer por uma margem superior a um gol de diferença.

Tal meta não parece ser das mais fáceis para o clube de Vila Oficinas. A começar pelo ataque, a equipe treinada por Carlos Henrique Paiva tem o segundo pior ataque da Série D (ao lado do Vitória da Conquista), com somente dois gols marcados até agora, média de 0,5 por jogo. O retrospecto ofensivo alvinegro neste ano também não é dos mais favoráveis. Este ano, o Operário conseguiu vencer por mais de um gol de diferença apenas três vezes, a última delas na quarta rodada do returno do Paranaense, ao bater o Atlético-PR por 2 a 0, no dia 19 de março. A partida, inclusive, foi a última vez que o atacante Mateus marcou um gol pela equipe ponta-grossense.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 31/8/2011).

Uma resposta a Diário dos Campos: Saldo pode virar problema para o Operário