Rivais do Operário na Série D tem Mirassol e Oeste em ‘desmanche’ ao lado do CENE, do Mato Grosso do Sul, que mantém reverendo coreano como investidor

Este ano o time de Vila Oficinas terá um campeão estadual do ano passado – de um estado que não têm representantes nas principais divisões nacionais há mais de 20 anos – e um detentor do título do interior de um dos principais estaduais do país, além do segundo representante do mesmo estado e um integrante de uma segunda divisão regional. Como comparativo, em 2010 o Operário enfrentou na primeira fase uma equipe a menos, grupo que contava com um vice estadual – o Joinville, de um estado que já acumula cinco representantes nas três divisões nacionais –, um quarto lugar gaúcho e o nono colocado do Paulista.

VARIADO Operário de Amilton Oliveira terá pela frente cinco equipes com perfis diferentes na Série D nacional

VARIADO Operário de Amilton Oliveira terá pela frente cinco equipes com perfis diferentes na Série D nacional

Na primeira fase da quarta divisão nacional deste ano o Operário terá pela frente o Cerâmica, de Gravataí, Rio Grande do Sul, que atualmente disputa a Segunda Divisão estadual (assegurou vaga na Série D através do vice-campeonato na Copa FGF do ano passado) e ocupa a 350ª colocação no ranking da CBF (que leva apenas em consideração participações em torneios nacionais). Em 2010, a chave do Operário também teve uma equipe do Rio Grande do Sul, mas era o São José, que ficou com a quarta colocação no Campeonato Gaúcho daquele ano, atrás da dupla Gre-Nal e do Caxias.

A presença de uma equipe do Mato Grosso do Sul, não faz apenas o Operário cerca de 900 quilômetros até a capital Campo Grande, mas também enfrentar o atual campeão daquele Estado. Entretanto, a presença de um campeão regional pode ser ‘amenizada’ ser for levado em conta que o Mato Grosso do Sul não conta com nenhum representante em nenhuma das três divisões nacionais. O CENE (sigla de Centro Esportivo Nova Esperança), 182º lugar no ranking da CBF, faturou o sul-matogrossense de 2010 e atualmente lidera o mesmo estadual (competição prevista para se estender até 3 de julho). Como curiosidade, o adversário da equipe de Amilton Oliveira tem como ‘investidor’ o Reverendo Moon (líder religioso coreano à frente do Movimento da Unificação, e que mantém outros investimentos no futebol e diversos setores).

Referente aos dois representantes paulistas na competição, o Oeste chega para sua segunda participação consecutiva na quarta divisão nacional com um retrospecto melhor do que no ano passado. 350º colocado no ranking da CBF, o Oeste faturou o Título do Interior do Campeonato Paulista, além de ter obtido o sexto lugar na classificação geral do mesmo torneio. Porém, assim como no ano passado, quando ficou em nono na classificação geral e quarto no Paulista, o time de Itápolis deverá passar por uma reformulação completa no elenco. O meia Roger, principal nome da equipe no Paulista deste ano, por exemplo, já acertou com o Santos.

O segundo representante paulista deve passar pelo mesmo processo. Um dos destaques do time na campanha em que a equipe alcançou as quartas de final e foi eliminado pelo Palmeiras, o meia Xuxa se desligou do clube e defenderá o Vitória da Bahia. Outro jogador que não irá mais compor o elenco do Mirassol é o zagueiro Gustavo Bastos, que acertou sua ida ao Avaí, e já se apresentou no clube de Florianópolis.

Adversários do Operário em 2010
Joinville – vice-campeão catarinense do ano; 35º lugar no ranking da CBF
Oeste – 9º no Paulista e 4º no Torneio do Interior; 350º no ranking da CBF
São José – 4º no Gaúcho; 242º no ranking da CBF

Adversários do Operário este ano
Cerâmica – disputa 2ª divisão gaúcha; 350º no ranking da CBF
CENE – campeão sul-matogrossense no ano passado; 182º no ranking da CBF
Oeste – 6º no Paulista e campeão do interior; 350º no ranking da CBF
Mirassol – 7º no Paulista e 3º no Torneio do Interior; 271º no ranking da CBF

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 19/5/2011).

Os comentários estão encerrados.