Distante do posto máximo com o qual chegou a sonhar, mas confortável na briga ‘secundária’ da competição. Assim é o perfil da situação do Operário no Campeonato Paranaense.

A oito pontos do líder Coritiba – restando quatro rodadas para o fim do segundo turno – o time ponta-grossense pelo menos se firmou na primeira colocação de melhor equipe do interior, após mais uma vitória fora de casa.

O sétimo triunfo do Ope­rá­rio como visitante neste ano ocorreu no Waldemiro Wagner, em um campo bastante prejudicado pela chuva, diante o Paranavaí, por 2 a 1. A vitória sobre o ‘Ver­me­linho’, assegurada por dois gols de Hevandro, saído do banco para substituir Dhiego Martins, põe o alvinegro como equipe a ser batida fora de casa neste Estadual.

INTERIOR Operário, bem fora de casa, se mantém firme na briga por vaga na Copa do Brasil e Série D

INTERIOR Operário, bem fora de casa, se mantém firme na briga por vaga na Copa do Brasil e Série D

Foram sete vitórias em nove jogos, apenas uma derrota, dezenove gols marcados, onze sofridos, campanha que contribui para que os ponta-grossenses se firmem no terceiro lugar na classificação geral, com 35 pontos.

A classificação geral é, inclusive, onde residem as principais consolações alvinegras. É a tábua que leva em conta os pontos dos dois turnos do Estadual que irá decidir quem serão os finalistas do interior, por exemplo.

Embora em um determinado ponto do campeonato tenha aspirado a chegar à decisão do Paranaense, tal sonho ao fim da sétima rodada do segundo turno ficou ainda mais distante.

Matematicamente é possível que o clube de Oficinas vença o segundo turno. Entretanto, a tarefa não é tão fácil, já que além de vencer seus jogos, teria de torcer para que o Coritiba – até agora invicto no Estadual e com 100% de aproveitamento no segundo turno – não vença mais nenhum compromisso.

Já a briga por uma vaga na Copa do Brasil do ano que vem e na Série do do Campeonato Brasileiro deste ano é bem mais concreta. O Cianorte, terceiro melhor do interior do estado, de acordo com a classificação geral, tem oito pontos a menos que o Operário, sendo que ambos irão travar um duelo direto no Germano Krüger em menos de quinze dias.

O alvinegro agora volta a atuar diante de seu torcedor. Na próxima rodada o alvinegro recebe o Paraná Clube, em partida, até o momento agendada para sábado, às 18h30, na abertura da oitava rodada do Paranaense.

Rodada derruba três técnicos
A sétima rodada do Cam­peonato Paranaense também foi marcada pelas saídas de três treinadores. No Rio Branco, após a goleada por 6 a 2 sofrida para o Coritiba, Ney Santos abriu mão do cargo. Ele é o segundo técnico a deixar o clube litorâneo. Antes de Ney, Saulo de Freitas já não havia resistido à má campanha do Leão da Estradinha.

Outro clube que muda de treinador é o Iraty. Após perder por 2 a 1 para o Corinthians-PR, foi anunciada a saída de Gilberto Pereira. Apontado por muitos com um dos melhores treinadores do interior do estado, Pereira não sobreviveu à reta de tropeços pela qual o Azulão enveredou a partir do início do segundo turno.

A terceira mudança de comando ocorreu não em uma equipe derrotada no fim de semana. Ao contrário, o Atlético-PR saboreou no domingo uma vitória por 2 a 1 no clássico contra o Paraná Clube, quase simultaneamen­te ao anúncio da saída de Ge­ninho, demitido pelo clube. Em seu lugar assume Adílson Batista, confirmado ontem pela direção rubro-negra.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 5/4/2011).

Os comentários estão encerrados.