Após vencer primeira partida na Série D, alvinegro precisa de mais três pontos hoje, diante o Cerâmica, no Germano Krüger

Vencer a primeira partida na Série D do Campeonato Brasileiro foi apenas um pequeno passo na trôpega caminhada do Operário na competição nacional. O alvinegro encara o Cerâmica hoje, a partir das 16 horas, no Germano Krüger, precisando vencer de novo, para seguir com chances de classificação às oitavas de final.

O Operário entrou no returno da primeira fase precisando vencer todos os quatro compromissos restantes para avançar na competição. No fim de semana anterior, o time de Vila Oficinas venceu o Oeste, e precisa de mais um triunfo hoje, desta vez em casa.

MAIS À FRENTE Marcelo será deslocado da zaga para o meio e é uma das apostas do técnico Carlos Henrique Paiva - Foto: Fabio Matavelli

MAIS À FRENTE Marcelo será deslocado da zaga para o meio e é uma das apostas do técnico Carlos Henrique Paiva
Foto: Fabio Matavelli

Apesar da esperança renovada após o primeiro triunfo, a situação do Operário ainda é delicada, e as cobranças são maiores que as expectativas “O resultado (a vitória sobre o Oeste) veio, mas somente uma nova vitória vai nos credenciar a pensar em alguma coisa. A cobrança existe da mesma maneira, assim como as adversidades. Só com vitória podemos superar o emocional e aí sim criar expectativas, talvez algo maior”, pondera o técnico Carlos Henrique Paiva.

Para a partida de hoje, o treinador aposta num meio de campo com três volantes. Marcelo será deslocado da zaga para o meio, adotando um 4-4-2 ao invés do 3-5-2 usado em Itápolis. Apesar de ter apenas Elvis como jogador mais ofensivo no meio, o treinador alvinegro refuta uma postura mais defensiva. “O Marcelo é um jogador que tem uma qualidade muito grande, um jogador ambidestro, de boa estatura, que pode auxiliar na jogada aérea, e que também é forte no chute de longa distância, e dessa forma pode ajudar os três na frente (Elvis, Marcelinho e Luciano, que substitui Ícaro)”, analisa Paiva.

Com pouco espaço na pré-temporada e primeiros jogos da Série D, Marcelo foi adotado como uma espécie de polivalente na sequência do campeonato, já foi usado como zagueiro, primeiro volante, deslocado para a lateral direita no 3-5-2, Marcelo não vê problemas na função delegada para o jogo de hoje. “Procuro finalizar bastante fora da área nos treinos, e também por isso (o treinador) optou por me colocar um pouco mais a frente. Não chega a ser um problema, tem apenas que prestar um pouco mais de atenção com o posicionamento”, minimiza.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 4/9/2011).

Os comentários estão encerrados.