A Final do Interior fez com que a Federação Paranaense de Futebol justificasse a sua fama em elaborar regulamentos singulares. A final entre Cianorte e Operário, que tem hoje, a partir das 15h50, o jogo de ida, põe à prova uma regra, até onde se tem conhecimento, inédita.

A equipe que sair derrotada hoje, no Albino Turbay, pode reverter o resultado no próximo domingo, independente do placar dos dois jogos. Exemplificando: caso o Operário aplique uma goleada histórica hoje, de nada ela valerá caso o Cianorte aplique um simples 1 a 0 no Germano Krüger, o que levaria a decisão para o pênaltis.

SEM VANTAGEM De volta após duas rodadas, Cambará (esq) lamenta falta de vantagem na final, e ressalta a precaução hoje diante o Cianorte

SEM VANTAGEM De volta após duas rodadas, Cambará (esq) lamenta falta de vantagem na final, e ressalta a precaução hoje diante o Cianorte

“É estranho né, uma si­tua­­ção nova para a gente, não tem vantagem nenhuma de gols, se a gente ganhar de 10 ou de 1, tanto faz. Por isso temos que jogar da mesma forma que vínha­mos jogan­do fora durante todo o campeonato, o time não pode se expor lá, e assim trazer uma grande vantagem para decidirmos aqui”, analisa Cambará, que retorna ao time titular após duas rodadas de fora, quando esteve lesionado.

Por conta do regulamento que ignora o saldo de gols nos dois jogos na decisão que inicia hoje, a melhor campanha do Operário, também de nada vale,. “Temos que atuar de maneira que se adapte ao regulamento. Queríamos ter a vantagem do empate ou de dois resultados iguais, mas com essa nova regra o time tem que ser inteligente e trabalhar com o regulamento”, prevê Lisa.

Por conta da situação inusitada, o empate é quase uma unanimidade em Vila Oficinas como exemplo de bom resultado para os alvinegros hoje à tarde. “É uma decisão de 180 minutos, com o primeiro tempo lá e segundo tempo aqui. Qualquer placar de vitória ou empate nos dá uma tranquilidade, de qualquer maneira a decisão vai ser no Germano Krüger”, teoriza Amilton Oliveira. “O time está mais forte, agora que foi conquistado o que havíamos traçado, e vamos para lá para trazer um resultado positivo, e um empate não é ruim”, admite Cambará. “De qualquer maneira vamos ter que fazer o nosso dever em casa”, completa Lisa.

A Final do Interior reúne as duas equipes fora da capital com melhor campanha no interior. O vencedor da decisão fatura, além do ‘Troféu RPC’ – em alusão à emissora que transmite a competição – um prêmio de R$ 50 mil.

Quanto ao regulamento que ignora o saldo de gols, vale lembrar que ele foi decidido ainda no ano passado, no arbitral da competição, aprovado por todos os clubes participantes. A justificativa é de que tal regra não desmotivaria o perdedor na primeira partida.

Adversário também teve destaques
Única equipe a desbancar o Coritiba na liderança do Campeonato Paranaense, o Cianorte além de ter protago­ni­­zado uma das cinco derrotas no Germano Krüger ao lon­go do Paranaense deste ano, também apresentou alguns dos destaques do Esta­dual.

O atacante Giancarlo foi um dos artilheiros do Paranaense – ao lado de Bill e Davi do Coritiba – com 12 gols anotados. Outro que se destacou foi o meia Thiago Santos, que, inclusive, chegou a ser cogitado como possível reforço do Operário na Série D do Campeonato Brasileiro. A campanha do Cianorte ainda teve o zagueiro Brinner como um dos melhores do Paranaense, além de Ronaldo Bagé, um do poucos casos de técnicos mantidos desde o início do Estadual.

Se o Cianorte foi responsável por uma das derrotas do alvinegro em casa, no primeiro encontro entre os dois jogos, no Albino Turbay, o alvinegro venceu por 4 a 2.

Por Jeferson Aigisto (Diário dos Campos – 8/5/2011).

Os comentários estão encerrados.