Nas duas vezes que enfrentou o Operário, Ceará não deixou boas recordações aos torcedores alvinegros. Nos encontros entre as duas equipes no Campeonato Paranaense do ano passado, o meia marcou dois gols e foi o grande destaque no duelo ainda primeira fase, e já na etapa final do Estadual de 2010 ainda balançou a rede mais uma vez.

Agora, Ceará está do outro lado. Apresentado oficialmente na manhã de ontem pelo Operário, o jogador chega com status de ser um dos maiores reforços do clube, além de ter uma ‘dívida’ com os alvinegros. “Já joguei contra o Operário e ano passado marquei três vezes, agora vamos reverter esse papel. Conheço boa parte dos jogadores, são atletas de qualidade e acredito que agora a equipe vai embalar no campeonato”, disse o jogador recém-chegado.

Foto: RESPONSABILIDADE Ceará admite que chega com o peso de uma das grandes contratações do Operário para este ano

RESPONSABILIDADE Ceará admite que chega com o peso de uma das grandes contratações do Operário para este ano

Considerado grande nome da campanha que levou o Iraty ao terceiro lugar no Paranaense de 2010, marcando sete gols, Ceará reconhece que sua chegada à Vila Oficinas, mas minimiza o peso de ser a grande contratação do Operário. “A gente sempre briga para ser lembrado, e graças a Deus eu fui escolhido como um dos destaques do Paranaense. O Operário tem um nome forte no interior e sei que posso voltar a fazer um bom campeonato, mas tenho os pés no chãos, tenho consciência que chegou para fazer um bom trabalho, mas claro que já tem jogadores de qualidade aqui e vou ter que brigar pelo meu espaço”, discursou o jogador, que no ano passado, após a boa campanha com o Iraty acabou sendo contratado pelo Paraná Clube.

A busca por um ‘camisa 10’ foi admitida pela diretoria do Operário, desde o ano passado, e nas primeiras rodadas o técnico Amilton Oliveira reforçou a necessidade de um jogador com tais características.

Entretanto, o clube pode demorar para ver seu novo reforço em campo. Apesar de estar jogando pelo Camaçari, o meia, com contrato com o Iraty e emprestado ao alvinegro até o fim do Estadual, ainda precisa que seja feita a transferência da Federação Baiana para a Paranaense, para que tenha seu nome publicado no BID e tenha condições de atuar pelo Operário. As projeções mais otimistas põem o jogador em condições de estreia para a quinta-feira, contra o Roma, entretanto, o processo pode se alongar um pouco mais, caso o processo de inscrição repita a lentidão que levaram as regularizações de Diego Palhinha, Mateus, André e Valtinho.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 29/1/2011).

Os comentários estão encerrados.