Após perder na estreia, Operário recebe o Cene, do Mato Grosso do Sul, no Germano Krüger, hoje, pela segunda rodada da Série D do Campeonato Brasileiro

Mais do que apagar um mau começo, o jogo diante do Cene serve para o Operário ligar o sinal de alerta neste começo de Série D. Mais curta, a primeira fase da quarta divisão nacional fica mais difícil para aqueles times que já largam na frente com dois resultados negativos, por isso, o discurso adotado entre os alvinegros de que uma vitória em casa é consenso.

Após perder por 1 a 0 para o Mirassol na primeira rodada, o time de Vila Oficinas não pode pensar mais um tropeço hoje, no Germano Krüger. No jogo que inicia às 16 horas, o time ponta-grossense tenta somar os três primeiros pontos na competição.

DE VOLTA Ausente da estreia, Ícaro joga hoje e ressalta a importância de jogar em casa

DE VOLTA Ausente da estreia, Ícaro joga hoje e ressalta a importância de jogar em casa

A pressão, e eventual cobrança por parte da torcida, foram abordados por Amilton Oliveira durante a semana. O treinador do Operário ressaltou a importância de se somar pontos nos jogos em casa em uma competição como o a Série D. “Tenho conversado com os jogadores durante a semana, que a torcida está com a gente, e que também cobra. Os jogadores estão conscientes da responsabilidade, a gente respeita a equipe do Cene, mas em casa a gente tem que fazer os três pontos”, prega o treinador.

Sem ter atuado na derrota para o Mirassol, Ícaro faz hoje sua primeira partida pela Série D. Com personalidade, o atacante admite a responsabilidade do compromisso da tarde de hoje, e minimiza um eventual desconforto com o meio de campo, bastante alterado. “Espero estrear nessa Série D com gols. Uma vitória é importantíssima, sabemos que do outro lado terá uma equipe qualificada, mas dentro de casa temos que vencer”, discursa. “Apesar de a gente estar se conhecendo ainda, nesse pouco tempo de treino já deu para se entender bem”, completou.

O meio de campo do Operário deverá ser formado por Serginho Paulista, Cícero, Luciano e Ceará. Este último ainda dúvida até a véspera do jogo, e caso não tenha condições, Dhiego Martins deve ser escalado.

Para um jogo com ares decisivos, o camisa 9 sabe que deve ter um jogo ‘pegado’ pela frente, mas ressalta que, embora se enquadre nestas características de jogo, é preciso que haja também qualidade. “Estou acostumado com esse tipo de jogo, de pegada, brigado, principalmente por ter jogado o Campeonato Gaúcho, e a Série D tem essas características. Mas além dessa pegada, é preciso que se tenha qualidade. Sem qualidade não adianta nada só a vontade”, analisa.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 24/7/2011).

Os comentários estão encerrados.