Derrota põe fim a planos ambiciosos traçados no meio do ano; Jair Pereira garante que parceria continua, mas admite reuniões para definir futuro

O Operário entrou na Série D do Campeonato Brasileiro bradando planos ambiciosos. Defendia uma ‘administração empresarial’ e visava chegar à Série B nacional em três anos. Porém nada saiu como o planejado pelos gestores nesse segundo semestre e o Operário está eliminado da Série D nacional.

A derrota por 3 a 1 para Cene, sofrida no último domingo, acabou com as chances de classificação do time ponta-grossense para as oitavas, frustrando as expectativas do alvinegro fazer uma campanha melhor que a do ano passado, quando chegou até às quartas de final.

ACABOU Com mais uma derrota, Operário está eliminado da Série D do Campeonato Brasileiro

ACABOU Com mais uma derrota, Operário está eliminado da Série D do Campeonato Brasileiro

Os objetivos fracassados não significam o fim da parceria entre a Premier Soccer, empresa do Rio de Janeiro que assumiu o futebol em Vila Oficinas, e o Operário. Ao menos foi o que assegurou o manager Jair Pereira, embora em seguida tenha admito que ‘algumas reuniões’ serão feitas para debater o futuro do projeto.

O Operário ainda tem um último compromisso contra o Mirassol no próximo domingo, no Germano Krüger, onde irá apenas ‘cumprir tabela’.

Em meio à essa indefinição, o técnico Carlos Henrique Paiva, que assumiu o time com a missão de tentar quatro vitórias para se classificar, ao final da derrota, ressaltou o trabalho feito, e já mencionou seu futuro no clube. “Houve uma mudança radical, transformadora, em cima de trabalho e conversa, e os jogadores apostaram naquilo que a gente falou. Hoje fica a sensação de que se tivéssemos mais pontos, mais partidas, as chances de classificação seriam maiores. Sempre vou dar meu máximo, e a ideia da diretoria era enfrentar desafio dos quatro jogos, agora é focar o Mirassol e depois ficar a decisão para presidente e gestor”, disse.

O técnico alvinegro ainda reclamou muito da arbitragem. Alegou que o gol, que seria de empate em 2 a 2, foi anulado incorretamente, e ainda questionou os critérios para os amarelos aplicados durante o jogo. “A resposta do grupo foi legal, ficou visível que a gente poderia sair com o empate e até a vitória. Mas a gente subentende que (árbitro e assistentes) vieram com a intenção de classificar um time do Mato Grosso (do Sul) para a segunda fase”, acusou.

Apesar da derrota e das reclamações da arbitragem, o técnico do Operário mais uma vez salientou a ‘determinação’ da equipe escalada por ele em Campo Grande “Importante que a gente não se omitiu nenhuma vez, o Operário se superou no segundo. Todos os atletas estão de parabéns, dentro das adversidades que sabíamos que iam enfrentar soubemos administrar. Chamo a responsabilidade pelo resultado, infelizmente não tivemos um bom resultado”.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 13/09/2011).

Uma resposta a Diário dos Campos: Ano acaba para o Operário