O Atlético-PR teve que suar para vencer o Operário, por 3 a 2, nesta quarta-feira, na Arena da Baixada. O time rubro-negro chegou a ficar duas vezes atrás no placar e obteve a virada com dois pênaltis cobrados por Alan Bahia e um gol de Patrick, quando o adversário estava com apenas dez homens.

O resultado manteve o Atlético vivo na disputa pelo título paranaense, faltando ainda três rodadas para o fim da competição. A vitória levou o time à liderança do octogonal, com 13 pontos, ultrapassando o Coritiba, que será obrigado a vencer o Iraty, nesta quinta, para sustentar a ponta.

Na próxima rodada, sábado, a equipe da Baixada recebe o Paranavaí, em jogo que antecede o clássico Atle-tiba, pela penúltima volta da competição.

O Operário permaneceu com dois pontos, já sem chances de brigar pelo título.

O jogo
Operário surpreendeu e abriu o placar logo aos 6 minutos de jogo. Após uma cobrança de falta, Ceará bateu para o gol e Rhodolfo colocou a mão na bola dentro da área. O árbitro marcou o pênalti, que Baiano bateu e converteu.

O Atlético partiu para a pressão, mas encontrou muitas dificuldades para furar a parede defensiva armada pelo Operário. Além disso, o time do Ponta Grossa dominava as ações no meio-de-campo, com boas atuações de Serginho Paulista e Serginho Catarinense.

Antes do fim do primeiro tempo, o técnico Leandro Niehues foi obrigado a mudar o time. Bruno Mineiro, que passou por um tratamento intensivo para jogar, foi atingido no tornozelo machucado e teve que deixar o jogo.

O empate veio num pênalti, aos 49 minutos. Rhodolfo foi deslocado por João Renato. Alan Bahia bateu forte, no canto direito, e evitou que o Atlético saísse com derrota no primeiro tempo.
O Operário se aproveitou de uma sucessão de falhas da zaga atleticana para chegar ao segundo gol. Explorando a ala-direita, frágil após a saída de Raul, Gilson cruzou na área e Manoel falhou feio ao tentar dominar. A bola sobrou limpa para Clênio empurrar para o gol.

O Atlético reagiu e empatou em novo pênalti, aos 14 minutos. Paulo Baier cobrou escanteio, Rhodolfo cabeceou , mas o lateral Gilson espalmou e foi expulso. Alan Bahia cobrou, com paradinha, e converteu.

A virada veio aos 19 minutos. Patrick aproveitou uma bola espirrada da zaga, avançou e bateu da entrada da área, no canto esquerdo.

Por UOL Esporte Curitiba (07/04/2010).

Os comentários estão encerrados.