Dos três últimos jogos na primeira fase do Campeonato Brasileira da Série D, o Fantasma faz dois em Ponta Grossa no Estádio Germano Krüger

O Operário Ferroviário entra no returno do Campeonato Brasileiro da Série D na última colocação de seu grupo, porém com a vantagem de só depender de seus resultados e ainda por cima em casa – com o apoio da torcida – para carimbar sua vaga na segunda fase da competição. Dos três jogos restantes, dois serão em Ponta Grossa.

Foto: Gilson saiu de campo lesionado contra o Oeste e é mais uma dúvida no Fantasma

O empate duplo na rodada (o Operário ficou no 0 a 0 com o Oeste, em Itápolis, no sábado enquanto São José e Joinville seguraram o 1 a 1) deixou todos os times com quatro pontos, com as definições ficando para a reta final desta fase. Apesar de garantir um ponto fora de casa, o resultado não foi tão comemorado pelos ponta-grossenses porque jogaram com um atleta a mais durante quase todo o segundo tempo. Porém, o resultado deixa o Fantasma em situação teoricamente confortável. Dos três últimos jogos, ele fará dois em Ponta Grossa no Estádio Germano Krüger. E o primeiro desafio será já neste domingo, Dia dos Pais, a partir das 16 horas contra o próprio Oeste. No último jogo em casa, na vitória por 1 a 0 sobre o Joinville, quase 3 mil torcedores estiveram presentes e agora fica o apelo da diretoria para aumentar o incentivo fora de campo com a meta de lotar o ‘caldeirão alvinegro’. Depois, o Operário tem o difícil desafio em Santa Catarina contra o Joinville, no dia 15 de agosto, com a rodada final marcada para o dia 22 de agosto, novamente em Ponta Grossa, contra o São José, do Rio Grande do Sul.

Nesta semana, os trabalhos acontecem normalmente em Vila Oficinas e também em outros campos da cidade. No entanto, a preocupação maior é com os atletas que se recuperam no departamento médico. Rilber e Zé Leandro que já desfalcaram o time ponta-grossense nesse domingo ainda são dúvida, assim como o lateral esquerdo Gilson, que saiu de campo contra o Oeste, por conta de uma lesão na clavícula. Confirmada a gravidade da lesão, ele pode desfalcar o time por, no mínimo, o restante da primeira fase.

Por Alexandre Costa (JMNews – 3/08/2010).

Os comentários estão encerrados.