Mais três jogadores – dois atacantes e um volante – chegaram ontem em Vila Oficinas; clube deve receber hoje mais um atleta

Com a chegada de mais três jogadores ontem, o grupo do Operário que vai disputar a Série D do Campeonato Brasileiro está praticamente fechado. As caras novas foram os atacantes Denilson e Thiago Oliveira, além do volante Gilmar. A previsão é de que mais um atleta desembarque no Estádio Germano Krüger no dia de hoje e assim a direção do Fantasma vai em busca de apenas mais um reforço – para o meio campo. Em casos excepcionais, mais atletas podem chegar, mas a previsão é de que o ciclo de contratações se encerre com o 29º atleta.

Foto: Denilson, Gilmar e Oliveira chegaram ontem e já começaram a trabalhar para a disputa da Série D

Denilson, Gilmar e Oliveira chegaram ontem e já começaram a trabalhar para a disputa da Série D

Os reforços vieram no período da manhã e já iniciaram os trabalhos. À tarde teve treino no campo da Conab e segundo o técnico Pedro Caçapa o grupo está agora praticamente fechado. “Recebemos mais esses jogadores, que são experientes e serão importantes para a disputa da Série D. Já temos 27 atletas e agora devemos receber amanhã [hoje] o Tiago Sá que é um meia esquerda que vem do futebol gaúcho e passou pelo Palmeiras B para ainda ser avaliado”. Já questionado sobre as necessidades do grupo, o treinador reforçou que ainda é preciso de mais um meia, um jogador para ficar responsável pela criação das jogadas.

Entre os ‘caras novas’ em Vila Oficinas o clima era de animação. O volante Gilmar chegou e vem com a experiência de jogar pelo Barueri (pela A3), Iraty e ainda teve passagens por Coritiba, Paraná Clube e Remo. “Já joguei contra o Operário e sei que tem uma torcida muito grande. Por isso espero ter sucesso aqui, pois a cobrança é importante para o jogador não ficar acomodado”, conta.

Na ala do ataque, Denilson veio do Roma e sabe da missão que terá, que é de fazer gols e dar alegrias para a torcida. “O Operário é um time de tradição e tem uma torcida impressionante. Se tem a cobrança, mas tem também o respaldo da diretoria com as condições e estrutura, fica mais fácil para trabalhar e conseguir os resultados”. Como companheiro, ele terá Oliveira, que estava no Vietnã, mas também jogou pelo Osasco de São Paulo e teve passagens por Roma de Apucarana e Foz do Iguaçu. “Estou animado e vim preparado para fazer um bom papel”, finaliza.

Por Alexandre Costa (JMNews – 22/06/2010).

Os comentários estão encerrados.