Jogadores já rodados e beirando os 40 anos estão descartados pela diretoria do clube que ainda busca mais reforços

A cada novo campeonato vem a velha discussão. Vale a pena trazer um medalhão, um daqueles jogadores experientes e com vários clubes de expressão no currículo ou apostar em jovens valores, atletas que se destacaram em times menores ou trazer quem já é conhecido da torcida. Em Ponta Grossa, o Operário Ferroviário se depender dos seus dirigentes quer ficar longe de confusão e de craques que hoje ainda desfilam nos gramados com seus quase 40 anos ou até mais.

Foto: Jair Pereira: precisamos de jogadores de qualidade no grupo

Jair Pereira: precisamos de jogadores de qualidade no grupo

Com a saída de jogadores que já fizeram parte da história recente do clube quase centenário como o zagueiro Rodrigo De Lazzari e o atacante Baiano, a torcida busca para o Campeonato Paranaense de 2011 um ou mais jogadores para se identificar – e também apostar nestes como personagens de vitórias e de uma boa campanha. O goleiro Ivan é um deles. Determinado em campo e carismático com os torcedores, o camisa número 1 já ganhou a confiança dos operarianos. E agora quem também aparece como candidato a ídolo é lateral direito Lisa, o xodó da torcida ponta-grossense. Natural de Piraí do Sul, mas com sua vida ligada ao clube de Vila Oficinas, ele vem mais uma vez defender o Operário já sabendo da cobrança por um bom desempenho a cada novo jogo.

Mas novos candidatos estão ainda para vir por aí, até mesmo porque o time não está completo na avaliação do técnico Amilton Oliveira. Ainda devem aparecer mais três ou quatro caras novas no elenco que tem parada dura na estreia – já contra o atual campeão Coritiba, no dia 16 de janeiro. “Estamos satisfeitos com os atletas que temos no grupo, mas sabemos também que precisamos qualificar por ser um campeonato longo e difícil. E por isso também não descartamos a possibilidade de vir aquele cara que é para resolver”, diz o treinador, deixando aberta a possibilidade de que em janeiros possam aparecer mais reforços em Ponta Grossa. Atualmente, as maiores carências seriam para compor as laterais (direita e esquerda – que já tem jogadores em avaliação), um meia atacante (aquele sempre sonhado camisa 10) e mais um atacante.

O supervisor técnico Jair Pereira afirma que gostaria de contar no time com contratações que ‘chamassem a atenção’, mas também que não fossem jogadores tão velhos. “Tem que ser um jogador com qualidade e apesar de termos um bom grupo ainda digo na minha opinião que temos de contar com mais três ou quatro jogadores de qualidade e de experiência. Agora não é mais hora para testes e avaliações e também sabemos que não podemos errar para conseguir os bons resultados”, finaliza.

Por Alexandre Costa (JMNews – 24/12/2010).

Os comentários estão encerrados.