Comissão eleitoral confirma a disputa das chapas ‘Paixão Operariana’ de Carlos Roberto Iurk e ‘Renovação Centenária’ de Amadeu dos Santos na disputa de sábado

Confirmadas as inscrições das duas chapas nas eleições para a presidência do Operário Ferroviário, os candidatos Carlos Roberto Iurk e Amadeu dos Santos têm sábado para conquistar o voto dos associados com propostas voltadas para a parte social e ao futebol profissional. A votação acontecerá das 14 às 17 horas na sede social do clube ponta-grossense, em Vila Oficinas.

Foto: Amadeu e Iurk disputam o cargo de presidente do Operário; eleições acontecem neste sábado

Amadeu e Iurk disputam o cargo de presidente do Operário; eleições acontecem neste sábado

Em visita a redação do Jornal da Manhã, Amadeu aparece com chapa ‘Renovação Centenária’. Ex-atleta e dirigente de clubes amadores, ele teve passagem como supervisor em 2007 no futebol do clube e aposta na retomada dos associados como ponto primordial para vencer a disputa. “Também vamos logicamente trabalhar com o futebol profissional – que tem ainda o contrato com os gestores até 2011 –, mas o foco principal será o social. O Operário ficou 12 anos fora do futebol profissional e quem manteve o clube foram os associados, agora esquecidos.

Na busca pela reeleição, Iurk com a chapa ‘Paixão Operariana’ coloca as obras na parte social e a recolocação do time na elite do futebol paranaense e em competições nacionais como pontos principais. “Estou com o mesmo empenho que se tivesse partindo para a primeira gestão, a mesma força de vontade. A meta é sempre trabalhar com o foco na parte social – onde apresentamos a construção do campo society e de mais um campo grande e as obras de revitalização nas piscinas. Só não olha quem não quer ver o que fizemos”, diz ao rebater as críticas recebidas

COMISSÃO ELEITORAL
Na avaliação do presidente do conselho deliberativo do Operário e coordenador da comissão eleitoral, Marcos Cosmoski, a previsão é de um processo bastante tranqüilo. “Temos as duas chapas inscritas e a expectativa é de um processo bastante tranquilo, por enquanto sem nada que venha a manchar a disputa”, diz, ao reforçar que para vencer o candidato precisa ter maioria simples, independente do número de associados que participem do pleito.

Por Alexandre Costa (JMNews – 9/12/2010).

Os comentários estão encerrados.