Tida como essencial por torcedores, principal meta para diretoria, e ainda distante de se tornar real, a ampliação do Germano Krüger, proposta na apresentação da comissão técnica e adiantada durante a campanha para presidência do clube, pode dar a Ponta Grossa o sexto maior estádio do interior do estádio.

Os planos do clube ponta-grossense é ampliar a capacidade de seu atual estádio para 15 mil pessoas, Atualmente, de acordo com o Cadastro Nacional dos Estádios, realizado pela CBF, o Germano Krüger comporta no máximo 8620 espectadores.

Foto: MAIOR Planos da diretoria do Operário põem Germano Krüger com capacidade mínima de 15 mil pessoas nos próximos anos

MAIOR Planos da diretoria do Operário põem Germano Krüger com capacidade mínima de 15 mil pessoas nos próximos anos

Se concretizado este desejo dos dirigentes do Operário, o estádio ponta-grossense ficaria atrás de cinco cidades com praças maiores: Londrina; Cascavel; Maringá, Paranavaí e Toledo. Pelo levantamento feito pela CBF, o maior estádio do interior paranaense atualmente é o Estádio do Café, com capacidade para 31.019 pessoas, seguido do Olímpico, de Cascavel, apto para receber 28.125 espectadores, Willie Davis, em Maringá, 21.600 torcedores, Waldomiro Wagner, 20000 pessoas, e XV de Novembro, em Toledo, com capacidade para 15.280.

Apesar de anunciada como um plano da presidência, e abraçado pelos gestores do futebol profissional do Operário, a ampliação do Germano Krüger é algo abstrato, sem nenhum projeto, em muito detalhes de como seria feita. “O (Carlos Roberto) Iurk teve esta ideia e nós a abraçamos, achamos que é viável. Ainda é apenas uma ideia, não tem um projeto, até porque, depende da quantia de recursos que for levantada”, justifica Dorli Michels.

A manutenção do estádio, segundo Michels, é, definida em contrato, dividida igualmente entre gestores e o clube. Por isso, a necessidade de se buscar recursos externos, já que a receita obtida com o futebol não seria suficiente para melhorar o estádio, explica Michels. Com isso, foi aceita a proposta feita por Carlos Roberto Iurk, o projeto ‘Sócio Centenário’, no qual prevê a arrecadação junto a cem ‘sócios nobres’ um valor que poderia chegar até R$ 1 milhão (cada um pagaria R$ 10 mil, e teria direito a um espaço no Germano Krüger, inclusive com seus nomes grafados no estádio).

Com mais de 70 anos, estádio teve média de 3,9 mil
O primeiro local onde o Operário mandou seus primeiros jogos não foi o Germano Krüger, que passou a ser casa do clube alvinegro há cerca de 75 anos, em um terreno doado pela Rede Ferroviária.

Desde então, o estádio ponta-grossense teve no máximo grandes reformas, a última, feita há mais de trinta anos.

Posteriormente, foram feitos vários reparos ‘pontuais’, sem grandes alterações na estrutura o estádio.

A ampliação do Germano Krüger seria parte dos planos ambiciosos do clube para os próximos anos, de chegar à Série B até 2012. Se quiser ver estes sonhos realizados dentro de sua cidade, terá de ter um estádio maior, já que a CBF exige que as fases finais das Séries D e C sejam realizadas em praças com capacidade mínima de 15 mil torcedores.

Nos últimos meses, foram raras as vezes em que o Germano Krüger viu sua capacidade máxima ser completada ou ficar próxima de ser atingida. Na partida em que marcou o retorno do clube à primeira divisão, no ano passado, o estádio, inclusive, excedeu em 40 pessoa sua capacidade máxima, tendo um público de 8660 torcedores.

Este ano, o clube viu suas então polpudas médias de público serem reduzidas. O estádio alvinegro, apesar de ter a melhor média do interior do estado, e superar o Paraná Clube, teve 3.968 torcedores por jogo, sendo que o maior público ocorreu na segunda partida que realizou em casa, diante o Coritiba, quando 7821 pessoas compareceram à Vila Oficinas.

Por Jeferson Augusto (Diário dos Campos – 12/12/2010).

Os comentários estão encerrados.