Após ter desempenho ruim em casa no primeiro semestre, Operário terá obrigação de vencer em casa no domingo; equipe faz hoje o último treino antes de “decisão”

Em um ano, o Operário viu seu estádio deixar de ser seu principal aliado para se transformar em dor de cabeça. Se no ano passado o time ponta-grossense usou o Germano Krüger como uma das forças da campanha que culminou no acesso à primeira divisão, no ano seguinte as atuações diante de sua torcida acabaram decepcionando.

No Campeonato Paranaense a equipe alvinegra não conseguiu repetir dentro de casa as boas atuações que fazia como visitante. Foram apenas três vitórias e um aproveitamento de 37,5% em Vila Oficinas (em 2009 o rendimento foi quase o dobro, 60%).

Foto: DEVER DE CASA Após vencer o Joinville em casa, Operário quer segunda vitória diante de sua torcida

DEVER DE CASA Após vencer o Joinville em casa, Operário quer segunda vitória diante de sua torcida

Na Série D do Campeonato Brasileiro, o clube alvinegro não escondeu que tem como meta retomar a força de seu estádio e não teme que os tropeços do primeiro semestre se repitam agora. Na primeira atuação em casa na quarta divisão nacional, as expectativas se confirmaram, com uma vitória, ainda que apertada, por apenas um gol.

Para o domingo, quando o Operário faz seu segundo compromisso como mandante, diante do Oeste, a expectativa é por um público ainda maior que os 2700 torcedores que viram a vitória sobre o Joinville. Mais de oito mil ingressos foram colocados à venda pela diretoria.

A necessidade de vitória – Operário e Oeste são adversários diretos por uma das vagas para a segunda fase – e um número significativo de torcedores nas arquibancadas não chegam a intimidar o elenco alvinegro.
Para o técnico Caçapa, a experiência do elenco, somada às atuações anteriores devem fazer com que a equipe “deslanche” no domingo. “Gostei da postura da equipe nestes últimos jogos e acho que os jogadores se comportaram muito bem diante da torcida. São atletas experientes, com personalidade e acho que isso vai fazer a diferença”, analisa o técnico, que reforça a obrigação de vitória e pede para que o público vá ao Germano Krüger no domingo. “Sabemos que vai ser uma “pedreira” mas temos a obrigação de vencer em casa. Agora é trabalhar para que os gols saiam e esperar que a torcida compareça em bom número e nos apoie”.

Caçapa deve comandar hoje um último treino antes da partida de domingo. O técnico não poderá contar com Rilber e Gilson, e já praticamente definiu a equipe, que voltará a atuar no esquema 4-4-2.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 6/08/2010).

Os comentários estão encerrados.