Atual presidente revela candidatura para reeleição no Operário, e prevê um título para coroar os cem anos do clube

No fim de semana em que o Operário comemora 98 anos de existência, seu atual mandatário anuncia sua candidatura à reeleição e vislumbra estar à frente do clube quando completar cem anos.

Carlos Roberto Iurk é declaradamente candidato à presidência do Operário, nas eleições planejadas para dezembro deste ano, e revela a intenção de estar à frente do clube alvinegro em um título, como forma de coroar o centenário do Operário. “Para mim, ser o presidente do Operário em seu centenário seria a glória, o ápice como dirigente. É claro que o Operário tem uma história gloriosa, com muitas conquistas, mas eu vejo nos últimos anos que falta ao nosso clube uma conquista maior. Então, de repente lutar por um título seria uma meta para os cem anos no clube”, afirma o atual presidente.

Eleito em 2006 (antes havia presidido o clube de 1993 a 1997) e reeleito em 2008, Iurk não enfrentou adversários na última eleição, e é provável que ele mais uma vez encabece chapa única no fim do ano. “A gente ouve um burburinho ali, outro aqui, mas não tenho conhecimento de ninguém que vá (e tenha condições legais para isso) se candidatar. Mas vejo de uma forma natural se houver oposição. Não se pode agradar a todos, não dá para ter 100% de aprovação”, diz.

Entre outras metas do presidente para o centenário do Operário, está a criação de um hino para o clube, inexistente até hoje. “As comemorações dos cem anos do Operário já começam a partir do dia 1º de maio do ano que vem, e se a gente tiver a felicidade de estar aqui, fica a sugestão para a criação de um hino do Operário, através de um concurso, por exemplo”, diz.

O fortalecimento das categorias de base do clube é outro plano do mandatário alvinegro, que pretende por em prática ainda este ano. “O grande desafio nosso é instalar, em definitivo, um projeto para as categorias de base, sobretudo na faixa juvenil, de 14 a 16 anos, que é algo que falta ao nosso clube e que pretendemos consolidar no segundo semestre”, anuncia.

A respeito da parte social, Iurk vê um avanço no período em que comandou o clube, sobretudo com a recém-inauguração de uma quadra de grama sintética, além da reforma de outros campos de futebol suíço.

Atualmente com um quadro de 600 sócios, o presidente pretende iniciar a venda de títulos patrimoniais do clube, e ainda afirma ter presenciado um crescimento no número de interessados em se tornar sócio do clube. “A profissionalização, no sentido amplo da palavra, do futebol, passa pela questão dos sócios. Este ano vimos uma grande procura por interessados em se tornarem sócios do Operário, o que é muito importante”.

Iurk ainda aponta para os cofres do clube, como outro feito nos últimos quatro anos. “Não há praticamente nenhuma dívida, uma ou outra coisa, que não chega a preocupar. Bem diferente do que encontramos quando chegamos”, finaliza.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 2/05/2010).

Os comentários estão encerrados.