A goleada por 6 a 2 em Conselheiro Galvão no último sábado pulverizou as chances de acesso à Série C, e mais, abortou a garantia de um calendário completo para o Operário no ano que vem.

Sem a vaga na terceira divisão, cabe ao alvinegro voltar seus olhos para o Campeonato Paranaense do ano que vem e repetir toda a peregrinação feita em 2010. O regulamento não dá ao alvinegro, e nenhum dos quatro times eliminados nas quartas de final, vaga na Série D do ano que vem, e para voltar a disputar a competição nacional no ano que vem, o Operário terá de fazer uma boa campanha no Estadual de 2011, ficando entre os cinco primeiros colocados (caso o trio curitibano figure nas três primeiros lugares).

Para repetir o caminho traçado este ano, a diretoria alvinegra assegura já ter um planejamento com vistas ao ano que vem. Antes mesmo da eliminação para o Madureira, os dirigentes do Operário asseguravam ter um esboço dos planos para 2011.

Foto: FIM Operário encerrou temporada após eliminação para o Madureira, e agora volta planejamento para o ano que vem

FIM Operário encerrou temporada após eliminação para o Madureira, e agora volta planejamento para o ano que vem

O gestor de futebol, Dorli Michels, garantiu a renovação de boa parte do elenco atual do clube até o fim de maio do ano que vem, o que, em tese, já garantiria um elenco pré-montado para o Paranaense. A pré-temporada para o Estadual inicialmente foi planejada para começar no dia 1º de dezembro. Entretanto, a diretoria admitiu rever o cronograma conforme a equipe avançasse na Série D deste ano.

O Campeonato Para­na­ense de 2011 terá início no dia 23 de janeiro e encerra 15 de maio, sendo utilizadas 24 datas do calendário da CBF. Com o regulamento aprovado, que coloca todas as equipes jogando entre si, com jogos de ida e volta, e a final reunindo o primeiro colocado de cada turno, o alvinegro terá, pelo menos, calendário garantido até maio.

O Operário encerra seu primeiro ano na elite paranaense em 15 anos com um retrospecto oscilante. Após um início ruim no Paranaense, que incluiu até mesmo seu estádio interditado por conta da reforma no gramado, o clube engrenou na reta final do Estadual e conseguiu uma das duas vagas na Série D.

O alvinegro fecha 2010 com o mesmo número de vitórias e derrotas: doze; além de sete empates. Curiosamente, menos da metade dos triunfos do Operário foram obtidos em seu estádio, até então tido como uma de suas armas. Jogando em casa, o alvinegro conseguiu vencer apenas cinco vezes. Justamente nos jogos em casa é que o Operário vacilou na reta final da Série D: as derrotas para Joinville e Madureira custaram caro e contribuíram para a eliminação do clube na competição nacional.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 19/10/2010).

Os comentários estão encerrados.