Alvinegro fala em ?jogar de igual para igual? com o Coritiba hoje, sem os erros cometidos contra o Atlético; desfalcado, time busca surpreender o líder do Campeonato Paranaense

“Rapaz, eu vou te falar, eu acho que a pegada tem que ser ainda maior do que a que foi quarta-feira”. Essa foi a definição do técnico Caçapa para a atitude que o Operário deve adotar na partida de hoje, diante o Coritiba.

A tônica no clube ponta-grossense é justamente a de que a atuação diante o Atlético-PR, descontados os erros que culminaram na derrota no meio de semana, seja repetida hoje. “A partida de quarta nos deu confiança, mas domingo tem que ser mais do que aquilo”, prega o treinador.

Para o duelo, marcado para às 15h50, no Couto Pereira, Caçapa fará algumas alterações no time titular. Três jogadores que começaram jogando na Arena não entram em campo hoje. Baiano, Gilson e João Renato cumprem suspensão.

Na defesa, a expectativa era em torno da volta de Leonardo, titular, mas ausente das duas últimas partidas devido a uma lesão na coxa. O defensor formaria dupla com De Lazzari, entretanto, está praticamente descartado para o duelo de hoje. Com isso, Vinícius ganha oportunidade. “A gente trabalha, sabe que uma hora a oportunidade vai aparecer e tem que aproveitá-la ao máximo”, discursa o zagueiro, que parece ter assimilado bem as palavras do treinador: “Temos que encarar (o Coritiba) de igual para igual, mas com inteligência e cuidado para não ser surpreendido”.

Vinícius, que curiosamente foi formado nas categorias de base do Coritiba, admite a dificuldade diante do líder do Campeonato, mas acredita em uma inédita soma de pontos contra o alviverde. Na primeira fase, os dois times se encontraram no Germano Krüger, com vitória do time da capital por 1 a 0. “É difícil, é um time que tem bons jogadores na frente, desde o começo do campeonato mostrou serviço. Temos tomar cuidado porque se trata de um time que em um lance pode definir”, acredita.

Além da presença de Vinícius, outro confirmado no jogo de hoje é Rafael Leandro. O atacante faz companhia a Clênio. “O Rafael é um jogador que se movimenta bastante, busca o jogo, enquanto que o Clênio é um jogador de área”, explica o treinador. Dyego Souza, outra opção para o lugar de Baiano, não deve ficar sequer no banco, já que sentiu dores durante o treino de sexta.

Na ala-esquerda, Digão, que figurou entre os titulares boa parte do campeonato, cumpre a lacuna deixada por Gilson. Lisa, apesar das negociações com o Atlético-PR também está confirmado para a partida de hoje.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 11/04/2010).

Os comentários estão encerrados.