Diretoria admite que falta ao elenco jogador que faça a ligação entre o meio de campo e ataque e busca por último reforço; CBF mudou para sábado data da estreia alvinegra

Uma constante queixa de treinadores, torcedores, analistas e todos aqueles que acompanham o futebol é a carência de jogadores com qualidade e toque mais refinado no meio de campo. O jogador responsável em abastecer o ataque virou peça rara, e o Operário Ferroviário passou também a sentir falta desta figura.

O clube não nega que a carência maior do atual elenco é justamente um meia, um ?camisa 10?, alguém que distribua o jogo em direção ao ataque. Na equipe que irá disputar a Série D do Campeonato Brasileiro, que inicia no próximo domingo, o ataque pouco produziu, o próprio treinador, Caçapa, reconheceu as falhas e mesmo com diferentes formações, a ausência do tal meia foi sentida.

Foto: PROCURA-SE Caçapa testou diferentes formações no meio de campo, mas ainda não encontrou jogador ideal para fazer a função de meia

No esquema adotado por Caçapa, o 4-31-2, com um meio de campo formado por dois volantes e um meia avançado, Danielzinho e Rilber foram testados na função, sem muito sucesso. O primeiro é um segundo atacante, enquanto Rilber teria desempenho semelhante ao de Cambará, como meia mais recuado e por vezes auxiliando na marcação.

No Campeonato Paranaense quem exercia a função de meia era Davi Ceará, enquanto Serginho Catarinense era um terceiro volante mais adiantado.

Sem um “camisa 10”, a diretoria do alvinegro parte em busca de um jogador com estas características. “Sabemos das necessidades do nosso grupo. Vemos que falta, de fato, um meia de ligação, um camisa 10”, analisa o supervisor Tico.

O problema, argumenta, está justamente na falta de opções do mercado. “A dificuldade está em achar bons jogadores com estas características. Quem tem não quer negociar”, justifica Tico. “Procuramos o jogador que se encaixe no perfil que queremos, se fosse do Paraná seria melhor, por conta da facilidade da transferência”, complementa o supervisor, garantindo que o clube “analisa alguns nomes”.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 14/07/2010).

Os comentários estão encerrados.