Alvinegro tem esperança de repetir hoje feito histórico obtido na primeira fase do Estadual, mas admite dificuldades e chances menores contra o Atlético Paranaense

Hoje, o Operário Ferroviário volta a Arena da Baixada para enfrentar o Atlético, revendo seu maior momento de glória este ano, e esperando que o raio caia pela segunda vez no mesmo lugar.

A noite de 20 de janeiro de 2010 entrou para a história recente do alvinegro. Na ocasião, o time ponta-grossense, recém-egresso da Segunda Divisão Estadual ? após mais de 14 anos longe da elite ? visitava o único representante paranaense na primeira divisão nacional e arrancava uma vitória heroica, de virada, por 2 a 1.

“Vai ser um jogo difícil, de muita marcação, mas vamos jogar de igual pra igual. Grandes artistas gostam de grandes palcos. A Arena é um grande palco, com imprensa, torcida, televisão, um gramado perfeito. Quem não quer jogar num lugar como esse?”, analisa o técnico Caçapa. O comandante alvinegro não descarta que a história do início do Paranaense se repita, mesmo sabendo que a partida de hoje, marcada para às 21h50, será mais complicada. “Sabemos que não é impossível ganhar lá, vai ser uma parada indigesta, mas tem que ter tranquilidade, a gente sabe da dificuldade que vai ter pela frente”, admite.

Lisa, no primeiro triunfo na Arena, foi o principal nome do jogo. Autor do gol da vitória, hoje ele tenta esquecer o que aconteceu. Na opinião do ala direito a partida de hoje será completamente distinta daquela que aconteceu no dia 20 de janeiro. “Foi um momento histórico (a virada sobre o Atlético), mas temos que apagar tudo. Agora é outro jogo, completamente diferente. Sabemos que não pode dar bobeira, que vai ser resolvida nos detalhes e que o adversário é de muita qualidade. Vai ser uma guerra, sem dúvida”, acredita.

Quando pisar no gramado do estádio que irá abrigar o Mundial de 2014, o Operário terá a pressão extra de vir de três resultados ruins, dois deles em casa. Curiosamente, as melhores atuações do time ponta-grossense ocorreram na capital. A equipe ainda está invicta em partidas realizadas em Curitiba. Além da vitória sobre o Atlético, o Operário teve outros dois triunfos na capital ainda na primeira fase, diante o Cascavel (No Eco-Estádio, onde mandou sua estreia no campeonato por não ter o Germano Krüger em condições) e sobre o Corinthians -PR. Some-se a isso o empate obtido com o Paraná Clube.

Para a partida de hoje à noite, a única mudança em relação aos onze que começaram jogando no empate com o Corinthians-PR no último domingo é o goleiro Osmar, que ocupa a vaga deixada por Filipe, lesionado e fora dos gramados nos próximos seis meses. Leonardo, que cumpriu suspensão, não joga de novo, desta vez por conta de uma lesão. Seu lugar na defesa continua sendo ocupado por João Renato. No banco de reservas Caçapa não terá à sua disposição nenhum goleiro, já que Vana, terceira opção, pertence ao Atlético, e seu contrato proíbe que ele atue contra o time que detém seus direitos.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 07/04/2010).

Os comentários estão encerrados.