Técnico do alvinegro quer equipe agressiva nos 60 minutos complementares de partida adiada na semana passada; equipe deve ter três atacantes, e Ceará, por precaução, não joga

O Operário Ferroviário terá um compromisso um pouco diferente hoje à noite. A equipe ponta-grossense encara o Cascavel, às 19h30, no Germano Krüger. Entretanto, ao invés dos 90 minutos de jogo, as equipe terão apenas uma hora para definir o confronto.

Isto porque a partida estava marcada para semana passada, porém, a chuva impediu que o confronto continuasse. Foram jogados apenas 30 minutos, e hoje à noite acontece o complemento do confronto.

Além do tempo menor de bola rolando, outras particularidades cercam o duelo de hoje. O primeiro diz respeito à escalação da equipe. Diante um regulamento dúbio, direção e comissão técnica do Operário optaram por não escalar Ceará. Embora o jogador tenha iniciado a partida na última quarta-feira, o Regulamento Geral de Competições da FPF não especifica quando os atletas que receberam o terceiro cartão amarelo durante a partida interrompida (caso de Ceará) devem cumprir suspensão. Apesar dos pedidos do departamento jurídico junto à Federação Paranaense, em busca de esclarecimentos, não houve qualquer resposta se o atleta poderia atuar ou não. Para evitar qualquer tipo de punição no futuro (a escalação de um jogador irregular prevê a perda de seis pontos), o meia está fora do duelo de hoje.

Com isso, a equipe que começa jogando hoje terá três atacantes. Rafael Leandro entra no lugar de Ceará, e Baiano, atacante de origem, passa a fazer a função de meio-campista. Outra alteração em relação aos onze titulares que começam jogando pode acontecer na lateral. Gilson ainda é dúvida, e uma teste na manhã de hoje irá revelar se o atleta poderá atuar. Em caso de negativa, Cassiano, lateral-direito, será improvisado na esquerda. Nas demais posições, os titulares será os mesmos que começaram na última quarta-feira, sendo assim o Operário deve ir a campo com Filipe, Lisa, Leonardo, De Lazzari e Gilson (ou Cassiano); Dario, Serginho Paulista, Serginho Catarinense e Baiano; Clênio e Rafael Leandro.

Com três atacantes, o time ponta-grossense deve adotar uma postura agressiva nos 60 minutos de jogo. “Temos que começar 100%, teremos menos tempo, então temos que partir para cima e encurralar o Cascavel durante todo o tempo”, pede o técnico Caçapa, que em seguida emenda uma dose de cautela. “Mas nós sabemos que desespero não ganha jogo”.

O mesmo cuidado pede Filipe. O goleiro aponta qualidades no adversário de hoje e lembra o pouco tempo de jogo, sem esquecer do perigo que o setor defensivo pode encontrar com tamanha pressa. “Como terá menos tempo vamos ter que correr mais atrás do gol, mas temos que agredir, mas com inteligência, sabemos que do outro lado tem uma equipe forte, sobretudo nos contra-ataques.

Ingressos
Outra particularidade diz respeito aos ingressos para o jogo de hoje. Os torcedores que têm o canhoto da partida de quarta-feira passada, podem trocá-lo por um bilhete de hoje. Na tarde de ontem a movimentação nas bilheterias do Germano Krüger, pela troca de ingressos era grande. Quem não tiver o canhoto deverá pagar os ingressos a preços normais “a R$ 50 (cobertas), R$ 25 (meia coberta), R$ 20 (Geral) e R$ 10 (meia Geral)” fato que gerou reclamação por parte de alguns torcedores, que alegam terem perdido os canhotos, com a chuva que caía no momento da partida.

Por Jeferson Augusto (DCMais – 31/03/2010).

Os comentários estão encerrados.